Prognatismo mandibular: entenda o que é como tratar

Tempo de leitura: 4 minutos

A anatomia ideal dos ossos faciais que compõem a estrutura bucal é aquela em que os dentes incisivos (da frente) da arcada superior recobrem ligeiramente os da arcada inferior. Porém, não é isso o que acontece nas pessoas que apresentam prognatismo mandibular.

Esse é um problema ósseo que interfere na funcionalidade das arcadas e na estética do indivíduo, trazendo complicações se não for tratado. Neste artigo, você entenderá do que se trata essa condição e o que a provoca.

Continue lendo para saber mais e descobrir também quais são os fatores de risco e tratamentos indicados para o prognatismo mandibular.

O que é prognatismo mandibular?

Para que haja uma boa dinâmica dentária e óssea, é necessário que os dentes da arcada superior se encaixem perfeitamente nos inferiores. O ideal é que os incisivos da arcada superior cubram parcialmente os inferiores.

Assim, a mastigação acontece do jeito certo, o indivíduo não sobrecarrega a estrutura e acontece o desenvolvimento perfeito da face. Mas há casos em que a posição das arcadas está inversa e os dentes inferiores ultrapassam os superiores, projetando o maxilar para frente juntamente com queixo.

Essa condição é chamada prognatismo mandibular, um crescimento irregular dos maxilares que ocasiona desarmonia ou deformidades na face. Existem variações dele conforme a formação da estrutura óssea, sendo as seguintes:

  • maxila bem posicionada com a mandíbula para frente (protruída);
  • mandíbula bem posicionada com a maxila para trás (retruída);
  • maxila retruída com mandíbula protuída;
  • maxila e mandíbula retruídas.

Essa projeção ou retração dos maxilares provoca alterações na mordida, interferindo na forma como os dentes se encaixam. Existe a possibilidade de as arcadas se encontrarem, bem como manifestar o problema anteriormente citado, de os dentes de baixo sobreporem os de cima.

Quais são as causas e fatores de risco desse problema?

O prognatismo mandibular não é uma doença, caracterizando-se como uma má formação dos ossos faciais de origem genética ou hereditária. Por isso, a criança pode apresentar esse desenvolvimento irregular desde a mais tenra idade.

Entretanto, existe a possibilidade de outros fatores atuarem estimulando o desenvolvimento inadequado. Esse é o caso de alguns hábitos como chupar os dedos ou usar da chupeta, a forma como a língua é posicionada na boca e problemas respiratórios que também interferem na postura lingual.

Por estar relacionado ao histórico familiar do paciente, quando uma criança apresenta, ainda na fase da dentição de leite, a tendência para essas alterações no crescimento maxilar, é feita uma investigação dos membros da família para identificar possíveis casos.

Quais são os tratamentos indicados para prognatismo mandibular?

Podemos classificar o tratamento do prognatismo mandibular em três tipos, de acordo com o momento em que as intervenções são realizadas.

Tratamento preventivo

Ocorre quando o paciente está na fase da dentição de leite e demonstra tendência para alterações no crescimento ósseo. Após investigação familiar, é identificada a causa do prognatismo e definido o melhor procedimento.

Tratamento interceptativo

Ocorre na fase em que o prognatismo está se instalando, mas antes do surto de crescimento da puberdade. São realizados exames para determinar a idade fisiológica da criança e definir o melhor procedimento para evitar ou minimizar os problemas de crescimento.

Tratamento corretivo

Realizado depois do pico de desenvolvimento da puberdade. A mandíbula pode ou não ter encerrado o seu crescimento e são determinadas as técnicas mais adequadas de acordo com as características do problema.

O tratamento é feito com aparelhos ortodônticos ou ortopédicos, dependendo da necessidade do paciente. A cirurgia ortognática é uma opção somente quando a ortopedia e a ortodontia não podem corrigir o problema devido à predominância da genética.

Como o prognatismo é identificado na infância, é fundamental que a criança seja acompanhada por um odontopediatra assim que os dentes de leite começam a nascer. Desse modo, fica mais fácil realizar intervenções para minimizar o problema.

Nos casos em que o prognatismo mandibular já está instalado, é muito importante que o adolescente ou adulto seja tratado por um especialista. Afinal, esse problema causa dificuldade para mastigar, falar, respirar e leva à sobrecarga das estruturas dentárias e faciais. Daí a necessidade de ser examinado e tratado por um profissional experiente.

Gostou deste artigo? Então compartilhe em suas redes sociais para que seus amigos possam ter acesso às informações também!

Sobre Dra Caroline

Dra Caroline Wolff Marra
Coordenadora Clínica da Vital Implantes e Tratamentos dentários
CRO: 10849-DF
Graduada em 2014 pela Universidade Católica de Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *