6 dicas para cuidar da saúde bucal das crianças

Tempo de leitura: 8 minutos

Assim como os adultos precisam cuidar de seus dentes, também é muito importante que eles estejam atentos à saúde bucal das crianças. Afinal, não é porque os dentes de leite vão cair e dar espaço para os permanentes, que eles não necessitam de cuidados.

Esses dentes, chamados de decíduos, acumulam placa bacteriana, tártaro e desenvolvem cáries. Como complicação, as gengivas acabam afetadas e a criança desenvolve a gengivite, comprometendo os tecidos de sustentação.

Porém todos esses problemas, e ainda outros, podem ser evitados com uma boa higienização bucal e a devida nutrição orgânica e dos dentes. E neste post nós trazemos algumas dicas para lhe ajudar a manter a saúde bucal das crianças sempre em dia, a fim de que os problemas não se reflitam na idade adulta. Acompanhe!

1. Inicie a escovação assim que nascerem os primeiros decíduos

A higienização dos dentes das crianças não deve começar apenas depois que elas estiverem ingerindo alimentos sólidos, ou quando essas souberem manusear as escovas sozinhas. Na verdade, esse hábito deve ser iniciado assim que nascem os primeiros dentes de leite.

Isso ocorre por volta do sexto mês de vida, ou seja, é claro que a criança ainda não terá domínio de sua coordenação motora para escovar os dentes sem ajuda. Então cabe aos pais ou cuidadores cumprirem essa tarefa para elas.

Os dentes de leite devem ser escovados com uma escova infantil macia e um creme dental indicado para crianças. A quantidade utilizada é aquela equivalente a um grão de arroz cru. É muito importante ter atenção para que a criança não engula a pasta de dente.

Com o crescimento do pequeno, o adulto deve ensinar-lhe os primeiros movimentos com a escova, para estimular sua coordenação motora e esse hábito essencial. É muito importante ter paciência e instruir da maneira correta, para que a criança aprenda desde cedo como higienizar todos os dentes de forma adequada.

2. Higienize a língua e passe o fio dental

É muito comum que pessoas adultas esqueçam a importância de fazer a devida higienização da língua, e também negligenciem o uso do fio dental. Isso ocorre muito frequentemente porque elas não recebem a devida instrução quando pequenas, então, não cultivam esses hábitos.

Para evitar complicações na saúde bucal das crianças, procure instruir os seus filhos desde cedo a respeito da necessidade de higienizar a língua de forma adequada, e também de usar o fio dental para retirar os resíduos de alimento que a escova não alcança.

A língua precisa ser higienizada sempre para evitar que ali se forme uma placa bacteriana, que recebe o nome de saburra lingual. No caso do fio dental, ele apenas é necessário quando os dentes já estão bem próximos uns dos outros e não há espaços.

3. Leve a criança ao dentista periodicamente

Assim como a higienização, as consultas periódicas com o dentista devem começar logo que nascem os decíduos. Então, além do pediatra, você também precisa contar com um odontopediatra de sua confiança.

Esse profissional é essencial para acompanhar o desenvolvimento da arcada dentária, bem como dos ossos da face, para assegurar a saúde bucal das crianças. Afinal, o profissional estará sempre monitorando e intervindo quando for necessário.

Como dito, a placa bacteriana e o tártaro também se desenvolvem na boca dos pequenos, por isso, eles também precisam fazer as limpezas e a aplicação de flúor no consultório. Além disso, o profissional também vai observar qualquer outra alteração na boca ou nos dentes.

E o seu trabalho vai além. Quando a criança atinge os seus cinco anos de idade, em média, ela começa a trocar os dentes de leite pelos permanentes. Nesse momento, é importante fazer um acompanhamento mais próximo para assegurar que não haverá a má oclusão dentária.

Quando os dentes permanentes dão indícios de que nascerão desalinhados, o dentista realiza intervenções para minimizar esse desalinhamento, a fim de facilitar ou até mesmo reduzir a necessidade de um tratamento ortodôntico no futuro.

Também há casos em que os dentes de leite não caem e o odontopediatra precisa acompanhar a criança para observar se é apenas um atraso, ou se algum fator está interferindo no nascimento dos dentes permanentes.

4. Converse com a criança e acompanhe a higienização

Faz parte do desenvolvimento infantil, as crianças imitarem as ações e hábitos de seus pais, por isso, é interessante que você participe ativamente da escovação feita pelos seus filhos. Uma forma de estimular esse hábito é escovar o dente junto com eles.

Além de você interagir e dar um bom exemplo para a criança, essa é uma maneira muito prática de acompanhar a forma como ela está escovando os dentes, ao mesmo tempo em que corrige e instrui sobre os movimentos mais adequados.

Também procure conversar bastante com seu filho a respeito da importância de fazer a devida higienização bucal. Explique para ele sobre o papel dos dentes e o que pode acontecer se eles não forem escovados. O intuito não é assustar os pequenos, mas, sim, explicar que esse é um hábito essencial para garantir a sua saúde e ter um sorriso sempre bonito.

5. Evite chupetas e mamadeiras

A chupeta é um acessório muito comum para ajudar a manter os pequenos mais calmos, porém, ao mesmo tempo em que ela parece ajudar, traz prejuízos severos para a saúde bucal das crianças. Isso porque interfere no posicionamento dos dentes.

Como eles ainda estão nascendo e os ossos da face se desenvolvendo, todo esse conjunto é muito “maleável”. O esforço realizado na sucção, bem como a forma que a chupeta se encaixa na boca, força os dentes para uma posição inadequada.

O que acontece é que existem maiores chances de a criança ter dentes tortos quando faz uso da chupeta. Ao mesmo tempo, se não for muito bem higienizado, esse acessório pode proliferar diversas bactérias e fungos, que não somente vão afetar a saúde bucal da criança como também a sua saúde orgânica.

O mesmo acontece com a mamadeira, porém, esse é um acessório mais difícil de os pais dispensarem, já que a criança pode deixar de mamar no peito e passar pela mamadeira, antes de começar a usar copos.

Nesse caso, o recomendado é que ela seja usada o mínimo possível, pelo menor tempo. O ideal seria que a criança começasse a usar os copinhos, sem passar pela mamadeira. E não se pode esquecer que, assim como as chupetas, ela também deve ser muito bem higienizada para que não acumule bactérias e fungos.

6. Exclua hábitos e fatores que possam comprometer a saúde bucal das crianças

Alguns fatores, hábitos ou costumes também podem prejudicar a saúde bucal das crianças e, por isso, devem ser excluídos ou evitados ao máximo em seu dia a dia. Esse é o caso de colocar açúcar nos sucos e chás, ou nas papinhas oferecidas para os pequenos.

As frutas já são adocicadas, portanto, não precisam receber esse ingrediente extra. Para melhorar a aceitação das crianças, basta utilizar aquelas que têm um sabor mais agradável e doce, como o mamão e a banana.

Outro erro bastante comum é negligenciar a higiene bucal depois que a criança faz a sua mamada noturna. O correto é que, independentemente do horário, a higiene seja feita para evitar a chamada cárie de mamadeira, causada quando os dentes acumulam resíduos de leite durante a noite.

O que os pais não podem esquecer é que dentes são sempre dentes, logo, todos os problemas bucais que ocorrem com os adultos também podem acontecer com os pequenos. Por isso, não negligencie a saúde bucal das crianças e ensine desde cedo a importância de cuidar bem do sorriso para ter uma boca sempre saudável.

Os pais costumam ter artimanhas para estimular os seus filhos a escovarem os dentes. Deixe o seu comentário e conte o que você faz para que seus filhos cuidem bem da saúde bucal.

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *