Saiba mais sobre obturação dentária e fique tranquilo no tratamento

Tempo de leitura: 6 minutos

Sabe aquela dor de dente que já está incomodando há alguns dias? Pode ser cárie, e o tratamento indicado é a obturação dentária.

Só de ouvir esse termo muita gente fica assustada, pois acha que é um procedimento dolorido e complicado. No entanto, não há com o que se preocupar. Com os avanços das técnicas e materiais odontológicos, esse tratamento — também chamado de restauração dentária — é rápido e indolor.

Quer entender melhor para que serve, como é feita a obturação dentária e quais os principais materiais utilizados? Continue a leitura!

Para que serve a obturação dentária?

A obturação vai retirar o tecido cariado, limpar essa cavidade e preencher o espaço com um composto resistente, devolvendo a estética e a função do dente. Além de cáries, esse tratamento também é feito para dentes quebrados, trincados ou desgastados — por conta de bruxismo ou pelo hábito de roer unhas, por exemplo.

No caso da cárie, que é uma infecção causada por bactérias, a recomendação é que esse procedimento seja feito o quanto antes para evitar que ela tome proporções maiores e atinja a raiz do dente, sendo necessário um tratamento de canal radicular.

Em casos mais graves, essa infecção pode atingir até mesmo as estruturas de sustentação do dente, levando à perda.

Como saber se preciso fazer esse procedimento?

As cáries se manifestam de várias maneiras, como:

  • pequeno orifício no dente;
  • mancha mais escura no dente;
  • dor ao mastigar;
  • dor ao ingerir alimento quente ou frio.

Entretanto, a cárie pode se manifestar e não dar nenhum aviso, por isso é tão importante visitar o dentista pelo menos duas vezes ao ano. Ele fará uma avaliação dos seus dentes e, caso haja algum problema, recomenda o tratamento.

Com o acompanhamento odontológico regular, geralmente as cáries detectadas são bem superficiais. Dessa maneira, para sua remoção, o desgaste no dente é mínimo e, em muitos casos, nem é preciso tomar anestesia para fazer a restauração.

Diagnóstico

Na consulta de avaliação, o dentista vai fazer um exame clínico nos dentes e na boca. Com o pequeno espelho, vai observar o aspecto de cada dente e, com outros instrumentos pontiagudos, consegue averiguar se o paciente sente dor.

Se necessário, ele pode fazer uma radiografia para saber a extensão da cárie ou se ela está entre os dentes.

Quais as etapas desse tratamento?

Se você é daqueles que só de ouvir o termo obturação dentária já pensa no barulho do motorzinho e na dor, saiba que pode ficar tranquilo quanto a esse tratamento — a técnica evoluiu bastante, objetivando melhores resultados e o conforto do paciente.

Conheça, a seguir, todas as etapas do procedimento:

Anestesia no local

Se você tem medo de sentir dor, saiba que não sentirá nada para fazer a obturação dentária. Isso porque o dentista aplica uma anestesia na região afetada, que fica adormecida.

Remoção dos tecidos cariados

Após a anestesia, o dentista faz a remoção da área afetada pela cárie. Para isso, utiliza a broca (famoso motorzinho) e também um instrumento chamado cureta.

Limpeza da cavidade

Depois de remover o tecido cariado, é importante fazer uma limpeza profunda na cavidade para evitar que fique qualquer foco de infecção.

Reconstrução do dente

Com a cavidade preparada, o dentista começa a reconstruir o dente. Para isso, aplica várias camadas do material de preenchimento e vai esculpindo até que o dente fique com o aspecto natural.

Nesse processo, o profissional utiliza uma luz azul e materiais adesivos para garantir a melhor fixação do material.

Ajustes de altura

Para que o dente obturado não venha a incomodar a fala ou a mastigação, é preciso que esteja na altura correta. Dessa maneira, o dentista checa como está a mordida e faz os ajustes necessários.

Lavagem e polimento

Por fim, para que o dente restaurado fique mais liso e brilhante, é feita a lavagem e o polimento. 

Quais os materiais mais utilizados para fazer a obturação?

Como dissemos, a obturação tem o objetivo de recuperar a forma e a função de um dente natural. Desse modo, é preciso que o material de preenchimento seja resistente para que o paciente possa se alimentar e falar normalmente.

Para fazer a restauração, o dentista pode utilizar alguns materiais de preenchimento, como:

  • resina composta: é o material mais utilizado para fazer obturações. Apresenta boa resistência e várias tonalidades, permitindo uma maior aproximação da cor do dente natural;

  • porcelana: composto cerâmico de alta resistência, que apresenta um resultado estético superior ao da resina, pois tem mesmo brilho e cor do dente natural. É uma restauração confeccionada em laboratório e bastante indicada para dentes anteriores (da frente) ou obturações que aparecem na fala ou ao sorrir;

  • amálgama: bastante utilizada no passado, é uma restauração bem resistente. É indicada para dentes mais ao fundo, pois tem a cor cinza e se destaca no dente. É feita de uma mistura de mercúrio, prata, cobre, estanho e, por vezes, zinco. Por conta do mercúrio, pode trazer riscos à saúde;

  • ouro: também em desuso atualmente, o ouro apresenta alta durabilidade. Entretanto, não tem um bom resultado estético, pois deixa o preenchimento do dente com a cor dourada.

Quais os cuidados após a obturação?

Você pode voltar às atividades normais depois de fazer a restauração dentária. Por conta da aplicação da anestesia, pode ficar algumas horas após o procedimento com a boca dormente e formigando, dificultando a alimentação.

Logo depois do tratamento, é bom mastigar de forma mais cuidadosa e evitar alimentos muito duros ou grudentos, como chicletes.

E, para manter a saúde bucal em dia, não descuide da escovação após as refeições e antes de dormir, lembrando-se sempre de utilizar o fio dental. Não se esqueça também de deixar agendada a próxima consulta com o seu dentista.

Viu só como a técnica de obturação dentária é um procedimento simples e sem grandes desconfortos? Se esse tratamento é o indicado para o seu caso, faça o quanto antes. Assim, você garante um sorriso bonito e dentes saudáveis.

Gostou dos nossos esclarecimentos sobre esse tratamento odontológico? Acompanhe outros posts como este — é só seguir as nossas páginas no Facebook e Instagram!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *