Orientações: Pré e pós-operatório dos Implantes

Tempo de leitura: 10 minutos

Os implantes dentários representam uma solução avançada para aqueles que, por alguma razão, perderam um ou mais dentes. O tratamento promove qualidade de vida e conforto na hora de falar, sorrir e se alimentar.

Já tratamos bastante sobre esse assunto em outras matérias do blog. Compreendemos que, por se tratar de um procedimento cirúrgico, informação nunca é demais. Chegou a hora de realizar o tratamento? Não precisa se preocupar!

Para os padrões odontológicos, essa é uma cirurgia de médio porte feita com anestesia local — sendo que sua real extensão, inclusive em termos de duração, depende basicamente de quantos implantes serão colocados.

Acompanhe o artigo e saiba tudo sobre o pré e pós-operatório de implante dentário.

Como é o pré-operatório de implante dentário?

Para o sucesso do implante, é necessário que o paciente esteja em boas condições de saúde. Distúrbios sistêmicos — como diabetes e hipertensão — e doenças autoimunes — como lúpus eritematoso, hemofilia, reumatismo, entre outros — deverão estar controlados. Só é possível iniciar o tratamento após avaliação médica. 

A doença periodontal ativa é contraindicada para a instalação de implantes e, nesse caso, deverá ser tratada e controlada previamente, uma vez que o procedimento só pode ser realizado quando a infecção estiver sob controle.

A correta higienização da área ao redor do(s) implante(s) é também de fundamental importância para a manutenção da saúde periodontal e dos próprios implantes. O não cumprimento desse critério é a principal causa para a perda das peças.

Na primeira fase do tratamento, a cirurgia ocorre em ambiente apropriado, com roupas e instrumentos esterilizados de acordo com a técnica adequada. Não há possibilidade de impedir o contato de bactéria com o campo cirúrgico. Nesse sentido, para evitar riscos maiores de infecção pós-operatória, são utilizados:

• antibioticoterapia prévia e após a cirurgia;
• enxágues com antissépticos potentes;
• limpeza da face e pelos (sobrancelhas, bigode, barba). 

Vale ressaltar que o paciente deve se alimentar bem antes da cirurgia e comparecer acompanhado de um familiar. 

A incidência de problemas — como hemorragias, hematomas, dor acentuada e infecção pós-operatória — é rara, uma vez que são ministrados anti-inflamatórios e analgésicos para a redução da dor, do inchaço na área e de outros inconvenientes típicos de cirurgias realizadas na boca.

Como é o pós-operatório de implante dentário?

A infecção é uma das mais importantes complicações que requer prevenção após a cirurgia de implantes. Ela pode conduzir a uma multiplicidade de problemas, variando de dor e edema até perda óssea e perda do implante.

A carga precoce do implante, a falta de osso alveolar e alguns fatores do paciente —como níveis de higiene e o uso de álcool e tabaco — aumentam o risco dessas infecções.

Em pacientes saudáveis, o risco de infecção após o procedimento é influenciado também pelo tipo, localização e duração da cirurgia, habilidade do cirurgião, fatores pessoais e técnica asséptica.

Ao término do procedimento, o paciente deve ficar atento às recomendações do seu dentista. Os cuidados nos primeiros dias são essenciais para o sucesso do tratamento. Já o profissional deve considerar a sua responsabilidade de administrar antibacterianos somente quando necessário. 

Além disso, é importante estar atento quanto aos seguintes fatores: 

  • anestesia: não fique mordiscando ou apertando os lábios e língua, pois, poderá feri-los gravemente sem se dar conta;
  • hemorragia: o local da cirurgia foi suturado. É normal um pequeno sangramento.

 Como evitar um sangramento anormal?

Para evitar sangramentos anormais, siga as seguintes instruções:

  • não faça bochechos de espécie alguma no primeiro e no segundo dia;
  • em caso de sangramento, coloque uma gaze dobrada no local e morda durante 1 hora. Se a hemorragia persistir, entre em contato com o seu dentista;
  • para dormir, apoie a cabeça de modo que ela fique mais elevada que o corpo;
  • durma com a face virada para o teto ou para o lado oposto ao da cirurgia;
  • repouse bastante (de preferência na posição sentada);
  • não abaixe a cabeça por longos períodos e evite fazer esforço físico pesado.
  • retorne à consulta com o profissional para a avaliação, acompanhamento e remoção dos pontos.
  • aplique bolsa de gelo sobre a bochecha no local operado durante as primeiras 4 horas.

Faça esse último procedimento por 5 minutos e descanse 10. A baixa temperatura promove a contração dos vasos e diminui o edema/inchaço, além de reduzir o processo inflamatório e a dor.

Caso o inchaço continue mesmo após o uso da bolsa de gelo, dentro de 72 horas, é recomendado utilizar compressas quentes. O calor vai dilatar os vasos e aumentar o fluxo sanguíneo, diminuindo o líquido acumulado que ainda pode estar presente.

É também indicado entrar em contato com o dentista para que ele avalie o motivo real da condição — podendo ser alguma infecção ou reação medicamentosa, por exemplo.​

Por fim, não se esqueça de que, nos primeiros dias após a cirurgia, esses cuidados são muito importantes e contribuem positivamente no sucesso do tratamento.

Quais são as principais recomendações para o pós-operatório?

Dor

A dor leve ou moderada é normal nos três primeiros dias. É fundamental fazer o uso correto de todos os medicamentos indicados. No caso de dores intensas, contínuas e pulsáteis, procure seu dentista.

Rigidez ou trismo

É uma reação normal. Deve ser realizada fisioterapia laser e Mio Tens (se necessário).

Edema (inchaço da região da face)

Essa reação deve ser controlada com o medicamento indicado. Se persistir após 48h, é indicado usar calor na região (com compressas de pano aquecido).

Higienização

Mantenha uma higiene bucal rigorosa, escovando os dentes nas áreas não envolvidas na cirurgia e higienizando o local operado com gaze embebida em soro fisiológico para que não ocorra acúmulo de resíduos alimentares na região.

Seu implantodontista deve lhe orientar quanto a escovação. Use o enxaguante bucal somente se o profissional indicar.

Medicação

Tome corretamente os medicamentos prescritos nos horários indicados até o final do tratamento. Não se automedique nem substitua os remédios caso não os encontre. O uso correto da medicação é importante tanto para auxiliar no processo inflamatório quanto para evitar infecções e cessar a dor.

Alimentação

No primeiro dia após a cirurgia, a alimentação deve ser líquida ou pastosa, mas sempre fria. Depois, deve-se evitar alimentos duros e muito quentes (o que vale também para líquidos) por três dias. Não mastigue sobre a área operada.

Os alimentos sólidos podem ser inseridos na dieta de forma gradativa, tomando cuidado com aqueles muito duros e pequenos — como sementes e grãos —, pois, podem ficar alojados nas áreas cirúrgicas e causar inflamações.

Hábitos

Não se deve fumar ou ingerir bebidas alcoólicas nem roer unhas, canetas e outros objetos. O fumo é um dos principais fatores que atrapalham o processo de fixação do implante no osso. O tabagista deve estar ciente de que esse hábito pode levar ao insucesso do tratamento.

Apertar ou ranger os dentes (bruxismo) é contraindicado na colocação do implante. Esses pacientes deverão realizar um tratamento especializado para o controle do hábito. 

O paciente que foi submetido ao tratamento, mas não obteve sucesso quanto à fixação do implante no osso, deverá ser reavaliado pelo cirurgião dentista que o operou. Além disso, é também contraindicado utilizar a prótese parcial removível ou total até a orientação do profissional. 

Retorno

Não se esqueça de voltar ao consultório para a remoção dos pontos, higienização e controle.

Dúvidas

Em caso de dúvidas, entre em contato com o consultório imediatamente.

Higiene Bucal

  • escova dental: deve ter cabeça pequena, cerdas macias e pontas arredondadas. Já as escovas elétricas e waterpik podem ter valor em pacientes com deficiência ou que não tenham habilidades manuais;
  • troca de escova: a escova deve ser trocada quando suas cerdas ficarem deformadas — o que costuma acontecer após três meses de uso;
  • próteses com sistema de encaixe: devem ser removidas para a higienização da porção interna que fica em contato com os implantes;
  • cremes dentais: utilize o de sua preferência, independentemente da marca ou preço. O importante é que ele seja pouco abrasivo (gel);
  • escova interdental: é indicada para a limpeza dos espaços entre os implantes. Deve ser empregada em adição à escovação de rotina;​
  • fio e fitas dentais: corte aproximadamente 50 cm do fio ou fita e enrole as extremidades nos dedos médios. Use-os para limpar as superfícies entre os dentes, deslizando-os suavemente em direção à gengiva;
  • passador de fio: utilize-o nas próteses fixas para atingir as superfícies na forma de uma “alça,” em movimentos rotatórios, como se estivesse “lustrando” o implante. Assim, hieginizará principalmente a superfície lingual, que é muito crítica;
  • líquidos para bochecho: além de todo o processo de higiene bucal, é importante utilizar um colutório que tenha em sua composição o “triclosam,” que inibe a formação da placa bacteriana;

Lembre-se de que a manutenção de uma higiene bucal adequada atua na prevenção de cáries, doenças periódicas e peri-implantares

Como deve ser feita a escovação?

Para começar, utilize uma escova dental macia e com três fileiras de cerdas da mesma altura. Já a pasta de dente (dentifrício dental) deve conter flúor. Em seguida, adote os seguintes passos: 

  1.  posicione a escova inclinada, em direção à gengiva, formando um ângulo de aproximadamente 45° em relação aos dentes;
  2. utilize uma porção de pasta dental correspondente à metade do comprimento das cerdas;
  3. execute movimentos vibratórios a cada dois dentes;
  4. faça movimentos da gengiva à superfície de mastigação;
  5. realize os mesmos movimentos na face interna dos dentes;
  6. para escovar os dentes da frente, posicione a escova verticalmente na porção interna e realize movimentos vibratórios em ambos os arcos;
  7. na face de mastigação dos dentes “do fundo” (posteriores), posicione a escova paralelamente e realize movimentos de vai e vem no sentido horizontal;
  8. faça a escovação dos dentes do arco inferior como a dos dentes do arco superior.

E então, entendeu como funciona o pós-operatório de implante dentário? Lembre-se de que o sucesso do tratamento também depende dos retornos periódicos para a manutenção e controle do tratamento.

Sendo assim, não perca tempo e faça agora mesmo o seu agendamento com a Vital Implantes.

Sobre Dr Pedro Henrique

Dentista avaliador e responsável técnico da Vital Implantes Unidade Goiânia
CRO GO: 12179
Graduado em 2011 pela FOUSP ( Faculdade de Odontologia Universidade de São Paulo)
Especialista em Ortodontia pela FUNORTE (2017)
- Atualização em implantes HC-SP (2011)
- Curso de relacionamento interpessoal dale carning (2017)
- Curso de PNL dale carning

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *