Endodontia: o que essa especialidade faz pela sua saúde bucal?

Tempo de leitura: 9 minutos

Na certa você já ouviu falar dessa especialidade, mas você sabe o que é endodontia? A endodontia é uma das áreas da odontologia fundamentais para o sucesso dos tratamentos de reabilitação oral. Popularmente conhecida como tratamento de canal, a importância dessa especialidade vai muito além desse procedimento em si.

A área endodôntica gera muitas dúvidas na cabeça do paciente e também é uma das especialidades mais temidas dentro dos consultórios, pois a maioria das pessoas ainda têm aquela ideia de que o tratamento de canal é muito dolorido.

Então, para que você entenda o trabalho do endodontista  — que é o dentista especializado em endodontia —, nós criamos este post. Nele, você encontra todas as informações necessárias sobre essa especialidade e quais são as etapas de um tratamento de canal.

Faça uma boa leitura e tenha um ótimo aprendizado!

O que é endodontia?

Para entender o que é endodontia, vamos analisar a etimologia dessa palavra, ou seja, a sua formação: “endo” significa “dentro ou interno”, “odóntos” quer dizer “dente”, e “ia” significa ação. Sendo assim, a endodontia é a especialidade da odontologia destinada ao diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças que atingem a parte interna do dente: a polpa, a raiz e os tecidos periapicais, que envolvem a raiz.

A polpa dentária é formada por nervos, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo. Ela começa na coroa e vai até o início da raiz dentária, que é o ponto de fixação de cada dente com o tecido ósseo da face. Popularmente, a endodontia é conhecida como tratamento de canal, recebendo o nome do procedimento realizado para tratar esse tipo de problema de saúde bucal.

O dentista que se especializa nessa área é chamado de endodontista. Além de adquirir conhecimento sobre a formação e o tratamento das cáries dentárias profundas, esse profissional atua na correção de trincas, fraturas e outros traumas que venham a comprometer a estrutura interior do dente.

De uma maneira geral, a intervenção do endodontista é necessária para prevenir a ocorrência de infecções graves e para evitar a necrose completa, levando à perda dentária. Nesse sentido, é preciso saber identificar as situações nas quais o tratamento endodôntico é recomendado, conforme você verá a seguir.

Em quais casos o tratamento endodôntico é indicado?

Agora que você já sabe o que é endodontia, vamos falar um pouco sobre as indicações do tratamento. As causas mais comuns de adoecimento da estrutura interna dos dentes são as cáries profundas ou as fraturas. Nesses casos, as bactérias encontram um caminho livre para contaminarem a polpa e a raiz, disseminando uma infecção que pode atingir níveis mais graves quando não eliminada.

Portanto, o tratamento endodôntico é indicado para pacientes nos quais a cárie chega até a polpa do dente, comprometendo a sua raiz. Sendo assim, a necessidade de tratar o canal deve ser avaliada nos seguintes casos:

  • cáries profundas;
  • dentes quebrados ou trincados;
  • sensibilidade intensa, especialmente a alimentos frios e quentes;
  • traumas com indicação de tratamento protético.

Os sintomas apresentados pelos pacientes incluem dor durante a mastigação e a escovação ou de forma espontânea, com sensação de latejamento. O exame no consultório odontológico pode revelar a presença de bolsas de pus chamadas abcessos, em pacientes nos quais a infecção esteja avançada.

Mas vale lembrar que, não é porque o dente está doendo que o paciente precisa passar pelo tratamento de canal. Primeiro, é preciso passar por uma avaliação criteriosa do dentista e realizar os exames necessários para que o profissional tenha certeza da viabilidade do tratamento.

Agora que você já sabe em quais situações é preciso procurar o atendimento de um endodontista, apresentaremos as etapas do tratamento endodôntico. Trata-se de um processo totalmente indolor e seguro. Confira e esclareça suas dúvidas!

Quais são as etapas do tratamento?

A intervenção endodôntica é realizada com duas ou mais visitas ao consultório odontológico, dependendo da avaliação feita pelo endodontista do quadro de cada paciente. Na atualidade, a modernização das técnicas e dos materiais utilizados possibilitam que o tratamento de canal seja indolor e tenha uma execução mais rápida, sem que isso comprometa a sua qualidade.

Em resumo, o tratamento de canal consiste na abertura para remoção total da polpa dentária, com preenchimento por um cone flexível (feito de material biocompatível), finalizando com uma obturação. Conheça, agora, as etapas do tratamento endodôntico e entenda o que é feito em cada uma delas.

Abertura da coroa do dente

O tratamento começa com a criação de um acesso à parte interior do dente, feito por meio de uma abertura na parte posterior dos dentes frontais ou na região da coroa dos dentes posteriores, molares ou pré-molares.

Remoção da polpa dentária

Logo em seguida, na mesma consulta, o endodontista remove toda a polpa dentária, formada pelos nervos, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo. Essa é a parte inicial do tratamento de canal propriamente dito, quando a polpa adoecida é removida, para que seja feita a desinfecção dos canais dentários.

Tratamento do canal

Nesse momento, é feita a limpeza e desinfecção do canal dentário, removendo todas as possíveis fontes de contaminação e fazendo o selamento da raiz, preparando a parte interior do dente para o preenchimento com o material curativo e obturador.

Restauração temporária

Nessa etapa, o endodontista faz uma restauração temporária para fechar a abertura feita na coroa do dente e proteger toda a estrutura interna, que acabou de ser limpa e desinfectada. Ela exercerá essa função durante todo o período até a próxima consulta, para finalização do procedimento.

Preenchimento e restauração definitiva

Finalizando a intervenção, a restauração temporária é removida para que os canais dentários sejam preenchidos por um material flexível em formato de cone, fixado com um cimento cirúrgico. A restauração definitiva é feita, restabelecendo o formato e a aparência natural dos dentes.

Uma vez que todas as etapas do tratamento sejam identificadas, fica mais fácil compreender qual é a importância da endodontia para a saúde bucal. De fato, contar com o suporte de clínicas e profissionais especializados na abordagem da estrutura interna dos dentes faz toda a diferença.

É sobre esse assunto que falaremos na sequência deste artigo. Confira e esclareça suas dúvidas!

Qual é a importância da endodontia para a saúde bucal?

A maioria das pessoas que chega ao consultório odontológico sonha em ter um sorriso perfeito, com dentes brilhantes e alinhados. No entanto, a beleza dos dentes começa com a saúde da sua estrutura interna. É preciso que as cáries profundas e as fraturas sejam eliminadas para impedir o agravamento da saúde bucal.

Entre outras complicações, a endodontia pode evitar a ocorrência de quadros sistêmicos de infecção, que surgem quando as bactérias presentes na cavidade bucal chegam à corrente sanguínea.

Uma vez que o paciente busque o consultório do endodontista para o tratamento adequado, a restauração feita pode durar a vida toda, desde que os demais cuidados de saúde bucal sejam colocados em prática. Entre eles, podemos citar a escovação após as refeições e o uso do fio dental pelo menos antes de dormir.

O que acontece se o tratamento de canal não for realizado?

Caso o paciente adie o tratamento de canal, ou até mesmo abra mão de procurar um dentista especializado, as consequências para sua saúde bucal e de seu organismo podem ser bem ruins. Quando o paciente sofre com dores no dente afetado, esse problema só tende a agravar com o tempo.

Além disso, se o dente estiver infectado, há um risco de as bactérias presentes na boca caírem na corrente sanguínea, o que leva o paciente a desenvolver sérios problemas sistêmicos. No mais, ele ainda pode sofrer com dores de cabeça, febre etc.

Há ainda o risco da infecção não tratada evoluir para um abscesso agudo — processo inflamatório com formação de pus nos tecidos em volta da raiz do dente. Esse problema causa muita dor ao paciente e, em casos extremos, pode ocasionar um edema facial. Infecções agudas na garganta, que dificultam o processo respiratório, também são um risco de quem opta por não fazer o tratamento de canal.

Como você viu, perder o dente não é a única consequência de abrir mão do tratamento endodôntico. Aliás, esse é o menor dos problemas, visto que as outras complicações são mais graves e sistêmicas.

Como a endodontia avançada contribui para melhores resultados no tratamento de canal?

Bom, você já entendeu o que é endodontia e como essa especialidade contribui para sua saúde bucal e para a beleza de seu sorriso, certo? Mas o que, afinal, é endodontia avançada? 

Quando falamos dessa forma, estamos nos referindo a novidades em relação ao tratamento de canal. Até alguns anos atrás, era preciso diversas sessões para que o procedimento fosse finalizado. Atualmente, com o uso de equipamentos e técnicas avançadas, é possível reduzir tanto o tempo de tratamento quanto o desconforto do paciente durante o processo.

Além disso, pesquisas relacionadas à endodontia avançada trouxeram novas possibilidades de tratamento, como a microscopia operatória, que esclareceu melhor a anatomia complexa dos canais. Dessa forma, os dentista conseguem visualizar detalhes e estruturas que não são vistas a olho nu. Esse recurso possibilita que alguns tratamentos que antes eram inviáveis sejam realizados de forma simples, e que os resultados dos procedimentos endodônticos tenham melhores resultados.

Ficou claro para você o que é endodontia e seus benefícios para sua saúde bucal? Lembre-se de que o sucesso do tratamento depende da habilidade e competência do profissional. Por isso, quando você precisar de alguém para fazer um canal ou qualquer outro procedimento, procure por profissionais qualificados. Sua saúde bucal e seu bolso vão agradecer por isso!

Agora que você já sabe o que é endodontia, está na hora de descobrir quais são os tratamentos odontológicos oferecidos pela Vital Implantes!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *