Transtornos alimentares e saúde bucal: conheça os perigos

Tempo de leitura: 7 minutos

A busca pelo corpo perfeito e/ou a falta de estrutura para lidar com o estresse do dia a dia podem desencadear problemas como a bulimia, a anorexia e a compulsão alimentar. Além de afetar o organismo como um todo, a relação entre os transtornos alimentares e saúde bucal é muito perigosa e, em muitos casos, o dentista pode ser o primeiro profissional a identificar o paciente que sofre com esses distúrbios.

Neste artigo, entenda esses graves transtornos alimentares, os riscos para os dentes e a cavidade oral e a importância do tratamento odontológico nesse cenário. Acompanhe!

Tipos de transtornos alimentares

Os transtornos alimentares podem surgir em decorrência de grandes mudanças emocionais, da pressão da sociedade e da mídia, que idolatram um corpo perfeito, ou de fases de transição na vida do indivíduo, como a adolescência. Acompanhe abaixo as características de três desses distúrbios:

Bulimia

Esse transtorno alimentar apresenta ciclos em que o paciente ingere grande quantidade de comida e depois força o vômito ou toma laxantes e diuréticos com medo de engordar. Atinge mais as mulheres e pode ser desencadeado por situações estressantes, de ansiedade, bem como a grande preocupação com a imagem corporal.

Anorexia

Esse distúrbio também atinge mais as mulheres, que passam a ter uma visão distorcida do próprio corpo, sempre achando que estão acima do peso e precisam emagrecer. Assim, elas passam a fazer jejum, se alimentar muito mal, abusar das atividades físicas, além de tomar laxantes e diuréticos e forçar vômitos, como na bulimia.

Compulsão Alimentar

Já esse transtorno alimentar atinge igualmente homens e mulheres. O paciente come exageradamente em um curto espaço de tempo, mesmo estando sem vontade, satisfeito ou sem fome. 

Depois desses episódios, ele sente culpa. É uma situação que pode ser desencadeada por estresse, problemas emocionais ou ainda como resposta a um período de dietas muito rígidas.

Como se vê, são situações graves que necessitam do total apoio da família e dos amigos, além de um acompanhamento multidisciplinar — psiquiatra, nutricionista e também do dentista, por conta dos perigos que esses transtornos trazem à saúde bucal, como mostraremos a seguir.

Relação entre transtornos alimentares e saúde bucal

Quando conhecemos ou convivemos com alguém que sofre de alguns desses transtornos alimentares notamos uma magreza exagerada ou o excesso de peso, bem como a saúde mental perturbada, além de vários problemas que a falta de nutrientes ou a compulsão alimentar pode causar no organismo de uma forma geral.

Porém, o que pouca gente sabe é que esses distúrbios alimentares têm relação direta com a saúde bucal. Veja os problemas que podem surgir:

Cáries

Na compulsão alimentar e na bulimia, o indivíduo acaba ingerindo muitos alimentos, em geral, calóricos (como doces), de uma vez. O açúcar é um prato cheio para as bactérias que vivem na boca — elas produzem ácidos que provocam as cáries. E como esses pacientes estão em uma situação de estresse e fragilidade emocional, não terão atenção à necessidade de escovar os dentes adequadamente após esses episódios.

Periodontite

Quando há um descuido com a saúde bucal, deixando de tratar as cáries, o quadro pode evoluir para a periodontite, que acontece quando as bactérias comprometem a estrutura de sustentação do dente (periodonto), caso que, se não tratado, é capaz de provocar a queda do dente.

Erosão dentária

Na anorexia e na bulimia os pacientes induzem o vômito, situação que expõe os dentes à ação de ácidos estomacais, provocando sua desmineralização (erosão dentária), que é a perda de sua camada mais externa (esmalte). O processo causa a descoloração do dente, seu enfraquecimento, sensibilidade dental e compromete sua estética.

Sensibilidade dental

Como falamos, a erosão dentária desencadeia a sensibilidade dental, que é caracterizada pela dor ao ingerir alimentos muito quentes, gelados, pelo contato com o ar ou na hora da escovação.

Exposição da polpa do dente

Todos esses problemas de saúde bucal que citamos acima são capazes de causar a exposição da polpa do dente — a camada mais interna do elemento dental formada por vasos sanguíneos e terminações nervosas, que se estende até a raiz do dente. A erosão dentária e a cárie podem provocar esse quadro, que gera muita dor e compromete a saúde do dente, principalmente se as bactérias atingirem sua raiz.

Bruxismo

Esses distúrbios têm relação com situações de estresse, ansiedade e outros problemas emocionais, por isso podem desencadear o bruxismo, que é o forte ranger dos dentes. Essa ação desgasta a estrutura dental, podendo provocar dores no maxilar, erosão dentária e sensibilidade.

Enfraquecimento dos ossos maxilares

Pacientes anoréxicos e bulímicos apresentam falta de nutrientes, o que compromete a saúde dos ossos. No caso dos ossos maxilares, esse enfraquecimento pode provocar a perda do dente.

Xerostomia

É a chamada boca seca, que pode ser provocada por medicamentos, estresse ou desidratação. A pessoa fica com mau hálito e acumula mais bactérias na boca, que causam as cáries, já que uma das funções da saliva é “lavar” a cavidade oral, retirando os restos de alimentos.

Glândulas parótidas aumentadas

Esses pacientes podem ficar com as glândulas parótidas (que produzem a saliva) aumentadas por conta da sua estimulação nos episódios de vômito. O quadro traz inchaço nas bochechas.

Tratamentos odontológicos para esses casos

Como visto, os pacientes que sofrem de bulimia, anorexia ou compulsão alimentar podem desenvolver uma série de problemas. Em muitos casos, esses indivíduos têm vergonha de procurar ajuda psiquiátrica, mas podem se dirigir primeiramente ao dentista por conta de uma dor de dente, provocada pela cárie ou erosão dental.

O profissional saberá identificar os sintomas de alguns desses distúrbios e será capaz de encaminhar o paciente para a ajuda médica e nutricional necessária, porque de nada adianta tratar o dente sem resolver a causa do transtorno alimentar.

Orientações

O dentista também pode auxiliar o paciente quanto à escovação correta, que deve ser feita com uma escova de cerdas macias e movimentos suaves para não desgastar ainda mais o dente. Outra recomendação é não fazer a limpeza logo na sequência do vômito, porque a boca está muito ácida e a higienização pode deixar os dentes mais expostos. O ideal é aguardar cerca de 30 minutos.

Além disso, há grandes chances de o paciente aceitar um tratamento dentário, principalmente com a finalidade estética — como a colocação de facetas de porcelana para recuperar a beleza do sorriso — visto que eles estão em uma fase de grande preocupação com a imagem corporal. Dessa forma, pode ser o primeiro passo para que ele busque ajuda nas outras especialidades.

Todo mundo sabe que o paciente que apresenta esses problemas precisa, urgentemente, de tratamento. Os transtornos alimentares e saúde bucal têm uma forte relação, por isso é indispensável a consulta odontológica nesses casos.

Você conhecia os perigos desses transtornos alimentares para a saúde bucal? Fique por dentro de outros conteúdos interessantes seguindo as nossas páginas no Facebook e Instagram!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *