Saiba tudo sobre implantes dentários e fique por dentro do assunto!

Tempo de leitura: 19 minutos

Ter um sorriso bonito é um aspecto essencial para a autoestima! Seja nos relacionamentos pessoais, seja no ambiente profissional, é difícil expressar-se com positividade e ter segurança sobre a própria imagem quando a saúde da boca não vai bem.

Quando ocorrem doenças ou acidentes que causam a perda dos dentes, os implantes dentários são a solução mais avançada e segura oferecida pela odontologia para recuperar a saúde bucal dos pacientes.

Entretanto, muitas pessoas que precisam passar por esse procedimento ficam em dúvida sobre vários detalhes do tratamento.

Quanto custa um implante dentário? Como escolher um bom cirurgião-dentista? Quais os cuidados necessários durante o período pós-operatório?

Para responder a essas e outras questões importantes, preparamos este artigo, reunindo tudo que você precisa saber sobre implantes dentários.

Você vai compreender como é a cirurgia é realizada, conhecer os tipos de próteses dentárias mais utilizadas e esclarecer os principais mitos sobre o procedimento.

Para começar, vamos explicar o que são os implantes dentários e quais são os benefícios da cirurgia para a saúde bucal dos pacientes.

Boa leitura!

O que são implantes dentários?

A perda dos dentes é uma condição que causa impactos negativos sobre a saúde e a qualidade de vida das pessoas, dificultando a fala e a mastigação e prejudicando a convivência social.

Muitas vezes, a perda dos dentes é causada por doenças como a periodontite ou a cárie em estágio avançado. Em outros casos, ocorrem traumas que afetam a raiz dos dentes ou a estrutura óssea da boca.

Implante dentário é o nome dado para o procedimento realizado pelo cirurgião-dentista para repor um ou mais dentes que foram perdidos.

Os implantes dentários são compostos de um pino feito de titânio que é colocado no osso localizado logo abaixo da gengiva, por meio de uma intervenção cirúrgica.

Quando não existe osso suficiente para a inserção do pino de titânio, devido ao processo de perda óssea causado pela perda dos dentes, o cirurgião-dentista recomendará a realização do enxerto ósseo para, depois, fazer a colocação do implante dentário.

O que é a perda óssea e como ela compromete o implante dentário?

Todas as vezes que um dente é perdido, a estrutura óssea localizada logo abaixo desse dente começa a se atrofiar, diminuindo com o passar do tempo.

Em seguida, a gengiva sofre uma retração e os dentes restantes começam a apresentar um aspecto alongado, prejudicando a harmonia do sorriso e deixando a estrutura óssea de toda face propensa a alterações.

Após a realização de exames clínicos que comprovem a perda óssea, o paciente é submetido ao procedimento de enxerto, que pode ser realizado com osso retirado da sua própria mandíbula ou com material sintético biologicamente compatível.

Desse modo, o cirurgião-dentista garante a existência da estrutura óssea necessária para fixação dos implantes dentários e, posteriormente, da prótese.

Assim, o implante dentário substitui a raiz do dente que foi perdido e serve de base para a colocação da prótese dentária.

O que são próteses dentárias e quais os tipos existentes?

As próteses dentárias são estruturas esteticamente semelhantes aos dentes naturais, utilizadas para substituir alguns deles ou, até mesmo, toda a arcada dentária. Atualmente, a odontologia trabalha com dois tipos de próteses dentárias.

A prótese dentária móvel ou removível, também conhecida como dentadura, é usada quando o objetivo do tratamento é substituir todos os dentes ou a maior parte deles.

Ela é moldada na cavidade bucal do paciente, encaixando-se perfeitamente na gengiva. No entanto, a prótese removível não oferece segurança para os pacientes, sendo bastante comum o seu deslocamento com os movimentos bucais durante a fala ou a mastigação.

Já a prótese dentária fixa é aquela que oferece total segurança para o paciente, pois é colocada sobre o pino de titânio do implante dentário.

Também chamada de ponte, a prótese dentária fixa pode ser fabricada a partir da cerâmica ou de outros materiais extremamente resistentes e de aparência estética semelhante à dos dentes naturais.

Alguns dentistas costumam indicar prótese parcial removível (PPR Roach) como um terceiro tipo de prótese dentária.

Feita de ligas de cromo e cobalto, ela pode ser uma opção a utilizar nos casos em que exista uma quantidade considerável de dente remanescente. Sua colocação não requer a inserção do implante dentário, sendo necessária apenas a fixação com grampos e selas.

Considerando os diferentes tipos de próteses dentárias, é possível avaliar as vantagens que os implantes dentários oferecem para a saúde bucal e para a qualidade de vida dos pacientes.

Quais são as vantagens dos implantes dentários?

Uma vez que são capazes de substituir cada dente separadamente, os implantes dentários não causam prejuízos para os dentes saudáveis.

Desse modo, não é preciso que o cirurgião-dentista faça a extração de outros dentes, além dos que já foram perdidos, para que a prótese dentária seja colocada.

Por ser uma estrutura fixa, que é inserida no osso da mandíbula ou do maxilar dos pacientes, o implante dentário não permite que a prótese saia do lugar, como acontece com as dentaduras.

Além disso, os implantes dentários impedem que a perda óssea devido à ausência de dentes prossiga e prejudique, ainda mais, a saúde bucal dos pacientes.

Por essa razão, é muito importante manter os cuidados com a saúde bucal em dia e realizar a cirurgia para colocação do implante dentário assim que um ou mais dentes forem perdidos.

Atualmente, devido à tecnologia utilizada durante o procedimento cirúrgico, é possível diminuir bastante o tempo de espera entre a colocação do implante e da prótese.

Porém, a duração total do tratamento, que pode variar de uma semana a oito meses, depende, principalmente, das condições prévias da saúde bucal e da condição clínica geral de cada paciente.

Saiba, agora, quais são os preparativos e os cuidados necessários para que a colocação dos implantes dentários ocorra sem complicações.

O que é necessário para fazer um implante dentário?

O primeiro requisito para a realização dos implantes dentários é a existência de uma boa estrutura óssea, capaz de proporcionar a sustentação adequada para os pinos e demais estruturas que serão colocadas em substituição ao dente perdido.

Conforme explicamos, na ausência de tecido ósseo suficiente, o paciente será submetido a uma cirurgia de enxerto, antes que os implantes dentários sejam colocados.

Somente depois da completa recuperação da estrutura óssea da mandíbula ou do maxilar é que o procedimento para colocação do implante e da prótese será iniciado.

Além de avaliar o tecido ósseo bucal e a saúde da gengiva, o cirurgião-dentista solicitará a realização de exames para avaliar capacidade de recuperação do paciente após a cirurgia.

Nesse sentido, condições prévias como tabagismo, osteoporose, hepatite ou câncer merecem bastante atenção pois são uma contraindicação para a realização dos implantes dentários.

Além disso, pacientes com diabetes devem redobrar os cuidados após o procedimento cirúrgico, pois as alterações na capacidade cicatricial dos tecidos é um fator complicador importante.

Para garantir o sucesso do procedimento, os pacientes serão orientados sobre a manutenção de uma dieta saudável nos dias que antecedem a cirurgia, na qual o consumo de bebidas alcoólicas deve estar suspenso.

O cirurgião-dentista explicará os detalhes do procedimento, incluindo o uso da anestesia e da sedação, quando necessária, além de prescrever antibióticos para prevenir possíveis infecções.

Uma parte importante da preparação para a realização dos implantes dentários diz respeito às orientações sobre os cuidados durante o período pós-operatório.

Quais são os cuidados necessários no pós-operatório?

Nos primeiros momentos após a cirurgia, é fundamental dar atenção ao posicionamento da cabeça para proteger a região operada e evitar sangramentos. Para aliviar a dor e o inchaço, o uso de compressas geladas é uma boa alternativa

A alimentação também merece cuidados especiais, com a adoção de uma dieta basicamente líquida ou pastosa durante a primeira semana após o procedimento.

Nesse período, o ideal é evitar alimentos quentes, dando preferência para itens gelados ou frios, tais como sucos, vitaminas, sorvetes, cremes e sopas.

Quando a cicatrização estiver mais avançada, é possível introduzir alimentos mais sólidos na dieta, evitando fazer a mastigação com o lado da boca que foi operado.

Para a limpeza da boca, devem ser feitos bochechos suaves, utilizando, além da escova de dentes macia e do fio dental, os enxaguantes bucais indicados pelo dentista.

Por fim, é necessário lembrar que fumar é absolutamente contraindicado durante o período pós-operatório.

Agora que você já sabe o que são implantes dentários e quando esse procedimento é indicado, vamos esclarecer outra dúvida bastante comum apresentada pelos pacientes, que diz respeito aos custos do tratamento.

Quanto custa um implante dentário?

Assim como nos demais procedimentos odontológicos, o custo de um implante dentário só pode ser calculado pelo dentista após a avaliação de todos os fatores relacionados aos objetivos e à extensão do tratamento a ser realizado.

Questões como a necessidade da realização de enxerto ósseo, o número de dentes a serem substituídos pelo implante e o material mais adequado para as próteses fazem o orçamento do procedimento variar bastante entre cada paciente.

Atualmente, existem consultórios especializados em implantes dentários, que conseguem oferecer aos pacientes o atendimento adequado às suas necessidades clínicas e às suas condições financeiras.

Entretanto, profissionais pouco qualificados ainda atuam no mercado, oferecendo ao público a realização de implantes dentários por preços mais baixos, mas sem garantir a qualidade e a segurança imprescindíveis em odontologia.

Por isso, é importante saber como escolher um bom dentista para fazer o implante dentário. Veja, a seguir, quais são os principais aspectos a serem considerados nesse processo.

Como escolher um bom dentista para fazer o implante dentário?

O cirurgião-dentista é o profissional capacitado para a realização de todos os procedimentos que envolvem a colocação implantes dentários, desde a avaliação inicial para identificar a necessidade do tratamento até o acompanhamento depois da completa cicatrização.

Para escolher um bom profissional, é importante observar fatores como o tempo de atuação no mercado, a estrutura do consultório no qual o cirurgião-dentista trabalha e as especializações ou cursos realizados pelo profissional ao longo da carreira.

Outra iniciativa que pode facilitar bastante a escolha de um bom dentista é o esclarecimento sobre os mitos que envolvem a realização do implante dentário. Veja quais são eles agora!

Implantes dentários: o que é mito e o que é verdade?

O primeiro mito sobre implantes dentários diz que eles só podem ser realizados em pacientes idosos.

Entretanto, os implantes dentários podem ser realizados em pacientes de todas as idades, desde que haja indicação clínica e a correta avaliação quanto à necessidade ou não de enxerto ósseo.

Nos pacientes mais jovens, no entanto, é necessário esperar a maturação completa do tecido ósseo, que acontece pouco antes dos 20 anos de idade.

Outro mito sobre implantes dentários diz que eles podem causar deformações e outros problemas na gengiva.

Na verdade, a realização do implante dentário previne a retração da gengiva, que ocorre devido à perda óssea, e promove o alinhamento harmonioso dos dentes.

Muitas vezes, os problemas na gengiva já estão presentes muito antes da realização dos implantes dentários, causados pela má higienização da boca que, por sua vez, leva à doença periodontal.

Nesses casos, é preciso tratar a saúde da gengiva previamente  para depois iniciar a colocação dos implantes dentários.

De fato, a condição da gengiva é fundamental para a boa recuperação do paciente. Essa é mais uma questão que gera muitas dúvidas entre os pacientes.

E como fica a recuperação do paciente?

É verdade que o cigarro e o tabagismo podem prejudicar a recuperação dos pacientes depois da realização de um implante dentário.

A nicotina e outras substâncias causam alterações significativas na capacidade de cicatrização de todos os tecidos do corpo, incluindo a mucosa bucal e o tecido ósseo existente na cavidade oral.

Além disso, elas prejudicam a circulação sanguínea, contribuindo para o aparecimento de sangramentos e infecções.

Por outro lado, para os pacientes não fumantes, é preciso recordar que os cuidados com a saúde bucal antes e depois da realização do implante dentário são fundamentais para a recuperação.

É verdade, também, que o período de recuperação após a cirurgia pode variar de acordo com a extensão e o tipo de procedimento realizados.

O prazo normalmente observado para completa cicatrização e fixação do implante varia de três a oito meses, dependendo, também, das condições de saúde de cada paciente.

Outro esclarecimento importante sobre os implantes dentários diz respeito à possibilidade de colocação da prótese e do implante na mesma cirurgia.

Novamente, isso dependerá da avaliação feita pelo cirurgião-dentista, levando em consideração, entre outros fatores, as condições da estrutura óssea do paciente, que precisa estar bem preservada.

Por fim, vamos falar sobre uma questão que causa medo e ansiedade na grande maioria dos pacientes: afinal, fazer implante dentário dói?

Afinal, o implante dentário dói ou não?

Muitas pessoas sofrem com o medo do dentista. Em alguns casos, o sentimento surge ainda na infância, devido a experiências desagradáveis no consultório odontológico logo nos primeiros anos de vida.

Para outras pessoas, a sensação de pânico passou a fazer parte das visitas ao consultório odontológico já na vida adulta, provavelmente devido a algum procedimento que gerou dor ou desconforto.

Por isso, é necessário esclarecer que, assim como a maioria dos procedimentos realizados no consultório odontológico, os implantes dentários não causam dor, pois são feitos com aplicação de anestesia local.

O único incômodo sentido pelo paciente durante a realização do implante dentário é a aplicação da anestesia local, feita com uso de uma injeção. Porém, até mesmo esse desconforto pode ser diminuído, com a aplicação de anestésicos tópicos, como a xilocaína.

Além da anestesia local, alguns consultórios odontológicos utilizam recursos como a sedação dos pacientes, a hipnose ou a acupuntura, para deixar os pacientes mais relaxados antes, durante e depois do tratamento.

No período pós-operatório, é comum a ocorrência de inchaço e de pequenos sangramentos, que podem causar alguma dor.

Por isso, o cirurgião-dentista prescreve a utilização de analgésicos e a realização de compressas com gelo sobre o rosto, além de explicar a importância da postura adequada da cabeça e dos cuidados com a alimentação.

Com a devida moderação, o paciente já pode retomar as atividades normais no dia seguinte à realização dos implantes dentários.

Para finalizar os esclarecimentos sobre os implantes dentários, vamos falar sobre um assunto que causa preocupação nos pacientes: a rejeição do tratamento.

O que fazer quando houver rejeição?

Primeiramente, é preciso esclarecer que não existe rejeição em se tratando de implantes dentários.

Uma vez que o paciente siga todas as recomendações do cirurgião-dentista e retorne ao consultório periodicamente para fazer o ajuste da prótese e o acompanhamento radiológico, os implantes dentários podem durar cerca de 40 anos.

O titânio – material com o qual são feitos os pinos inseridos no osso – é uma substância biologicamente compatível, que não causa reações por parte do organismo.

Quando é colocado na mandíbula ou no maxilar, o pino de titânio começa a ser fixado pelo tecido ósseo ao redor. Esse processe é chamo de consolidação do implantado de osseointegração.

Entretanto, é possível haver problemas na estrutura óssea do paciente ou com a prótese dentária utilizada, além de intercorrências como inchaço, sangramento ou infecções.

Por isso, a observação dos cuidados indicados pelo cirurgião-dentista durante o período pós-operatório é fundamental, sobretudo no que diz respeito à higiene bucal.

No entanto, nada disso constitui uma rejeição do organismo ao implante dentário. Trata-se de ocorrências relativamente comuns, que podem acontecer devido às condições prévias de saúde bucal ou ao estado geral de saúde dos pacientes.

Assim, para finalizar o nosso artigo, vamos falar sobre a importância da prevenção em saúde bucal. Acompanhe e confira quais são as atitudes que você precisa incluir na sua rotina diária de cuidados com os dentes!

Qual é a importância da prevenção em saúde bucal?

O sucesso da parceria entre o dentista e seus pacientes começa com a manutenção de bons hábitos de higiene bucal.

No caso das crianças, os pais são os grandes responsáveis por mostrar aos filhos como é importante garantir a limpeza dos dentes, dando bons exemplos aos pequenos diariamente.

O uso correto do fio dental e a execução perfeita da escovação são fundamentais para combater a formação placa bacteriana e prevenir o aparecimento das cáries, do tártaro e de uma série de problemas de saúde bucal, tais como a doença periodontal e o mau hálito.

Algumas vezes, os prejuízos para a saúde devido ao descuido com a higiene bucal não ficam restritos à boca.

As cáries e o tártaro não tratados podem fazer com que as bactérias presentes na boca atinjam a corrente sanguínea, contaminando outros órgãos e causando infecções. Uma dessas infecções é a endocardite, que atinge o coração.

Para evitar todas essas complicações, é preciso manter as visitas regulares ao dentista e cuidar da higiene bucal diariamente.

O ideal é que a limpeza dos dentes seja feita logo após cada refeição. No entanto, quando isso não for possível, é preciso garantir a escovação e o uso do fio dental ao menos depois do café da manhã e antes de dormir.

Até mesmo os hábitos alimentares podem ser um reforço para proteger a saúde bucal, como vamos mostrar agora.

Quais os alimentos amigos dos dentes?

O limão, a cenoura, o pepino e a maçã, quando consumidos regularmente, ajudam a eliminar a placa bacteriana e a combater o mau hálito.

Esses alimentos são ricos em substâncias adstringentes e bactericidas, que promovem a remoção dos restos alimentares e dificultam o acúmulo de bactérias sobre os dentes e a gengiva.

Além disso, é importante beber bastante água para auxiliar na produção de saliva, que participa ativamente da limpeza da boca.

Investindo na adoção de bons hábitos de higiene bucal você conseguirá evitar o aparecimento de cáries e outros problemas que podem, quando não tratados, causar a perda dos dentes e levar à necessidade de tratamentos mais extensos, como os implantes dentários.

No entanto, graças ao conteúdo do nosso artigo, você já sabe todos os detalhes desse procedimento odontológico e está pronto para seguir todas as recomendações do seu cirurgião-dentista, contribuindo para o sucesso do seu implante dentário.

Quer saber mais sobre implantes dentários e sobre como ter um sorriso bonito? Assine a nossa newsletter e receba um conteúdo especialmente preparado para contribuir com a sua saúde bucal!

Sobre Vital Implantes

O lugar certo para cuidar do seu sorriso!

Especializada em Implantes Dentários, a Vital se notabilizou por viabilizar a execução deste procedimento, até mesmo para aquelas pessoas que jamais imaginaram serem capazes de realizá-lo.

Como adquire sempre uma grande quantidade de Implantes, a Vital tem uma condição especial junto às melhores fabricas e essa mesma condição é transferida ao paciente durante a negociação do seu plano de tratamento. Dá até pra dizer que só não faz o tratamento, quem não quer.

Além de só trabalharmos com as melhores marcas de Implantes, nosso corpo clínico é formado apenas por mestres e especialistas. Dessa forma, conseguimos duas coisas muito boas: reduzimos o tempo de execução e aumentamos a qualidade do tratamento.

Claro que não fazemos apenas Implantes dentários. Temos especialistas nas áreas de periodontia, endodontia, demais cirurgias, ortodontia, prótese e dentística. Dá para fazer todos os procedimentos no mesmo lugar.

Visite uma das nossas unidades e comprove. Além de sabermos muito de odontologia, somos especializados em recebê-lo bem e viabilizar a realização do seu tratamento.

> Para agendar uma avaliação ligue:
- Brasília (61) 3032-5666
- Goiânia (62) 3996-6666

9 Comentários

  1. Cléia de Oliveira Gomes Gonçalves

    Preciso fazer uma avaliação com vcs, me interessei na.prótese fixa, moro em Quirinópolis e estarei em Goiania quarta dia 24. Será que vcs tem um horário pra mim?

    Responder
    1. Vital Implantes

      Olá Cléia
      Ligue, por favor, no 062-3996-6666 para agendarmos. Será um prazer recebê-la.

      Responder
  2. Alcy Ricardo da Silva

    Gostaria de fazer um orçamento de implante dentário, é possível? Vocês cobram para fazer orçamento? Posso marcar por telefone ou email? Obrigado

    Responder
    1. Vital Implantes

      Olá,
      Poderia por gentileza agendar um horário ligando para um dos fones abaixo?
      Brasília 061-3032-5666
      Goiânia 062-3996-6666
      Um abraço!

      Responder
  3. Roberto Euzebio da Rocha

    Gostaria de fazer uma avaliaçao.
    Para colocar uma protese fixa superior.

    Responder

    1. Olá Roberto,
      Poderia por gentileza agendar um horário ligando para um dos fones abaixo?
      Brasília 061-3032-5666
      Goiânia 062-3996-6666
      Um abraço!

      Responder
  4. Maria Francisca Florêncio Oliveira go

    Gostaria de fazer orçamento pois fui informado que é de confiança Que o trabalho é muito bom e de confiança.

    Responder

    1. Olá Maria,
      Ficaremos felizes em atendê-la.
      Poderia por gentileza agendar um horário ligando para um dos fones abaixo?
      Brasília 061-3032-5666
      Goiânia 062-3996-6666
      Um abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *