Ronco e apneia do sono: diferenças e relação com a saúde bucal

Tempo de leitura: 4 minutos

O sono é reconhecido como um processo neural ativo, necessário à homeostase. Nesse contexto, observa-se a importância de entender sobre o ronco e apneia do sono, ou síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), que pode conduzir a importantes alterações cardiovasculares e neuropsicológicas.

Quadros de dentição mal alinhada, posicionamento incorreto da língua e desgaste nas articulações podem levar ao desenvolvimento desses distúrbios. Por isso, no post de hoje, abordaremos o que é ronco e apneia do sono, assim como as diferenças entres eles. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que é a síndrome da apneia obstrutiva do sono?

Características

A SAOS é caracterizada pelo bloqueio da via aérea superior durante o sono, correlacionada a sinais e sintomas clínicos. A obstrução manifesta-se de forma contínua.

Ao acordar ocorrem as contrações musculares que abrem a via aérea. O sono retorna e, imediatamente, ocorre o colabamento dessa via, reiniciando o ciclo. Essa série de eventos pode se repetir várias vezes durante a noite.

Sintomas e Consequências

Os sintomas e consequências mais comuns são:

  • cansaço ao acordar;
  • sonolência excessiva durante o dia;
  • sensação de que o sono não é repousante ;
  • pode ocorrer ronco, episódios de engasgo ou parada respiratória;
  • depressão, falta de atenção, memória e aprendizado.

Fatores predisponentes

Há diversos fatores que predispõem uma pessoa a desenvolver a apneia:

  • obesidade;
  • sexo masculino;
  • anormalidades craniofaciais;
  • obstrução nasal;
  • anormalidades endócrinas, como hipotireoidismo;
  • acromegalia;
  • hereditariedade.

O que é o ronco?

Características

O ronco é um ruído respiratório durante o sono que pode se originar em qualquer ponto da via aérea. Ao dormir, os músculos do pescoço relaxam e, às vezes, o nariz e a garganta se fecham parcialmente, impedindo a passagem normal de ar até os pulmões. Isso provoca uma vibração na garganta que gera o ruído do ronco.

Fatores contribuintes 

Alguns fatores, isolados ou associados, contribuem para o ronco:

  • hipotonia da musculatura do palato, língua e faringe, incapaz de manter a patência da via aérea durante a fase inspiratória do ciclo;
  • efeito de massa exercido pelas amídalas, adenoide, cistos, tumores e língua, comprometendo a passagem do ar pela via aérea;
  • comprimento excessivo do palato mole e úvula, reduzindo o diâmetro anteroposterior da via aérea e produzindo vibrações durante a respiração;
  • sequelas de amigdalectomia, com aderências entre os pilares amigdalianos posteriores e a parede posterior da orofaringe.

Qual a relação entre ronco, apneia e saúde bucal?

A causa, tanto do ronco como da apneia, é multifatorial. Em parte, é decorrente de alterações anatômicas da via aérea superior e do esqueleto craniofacial associadas a alterações neuromusculares da faringe. Contudo, a apneia é uma doença mais grave, com várias consequências. Ambos os pacientes, com ronco ou apneia obstrutiva do sono, podem não perceber o problema.

Concentração de gordura no nível do tronco em pacientes obesos, assim como más oclusões sagitais, verticais (mordida aberta) ou mesmo transversais (mordida cruzada) podem estar relacionadas a um crescimento inadequado das bases ósseas maxilar e/ou mandibular. Essa má formação pode reduzir o espaço disponível na boca e empurrar a língua para trás, dificultando a passagem de ar.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da apneia e do ronco são de suma importância. Veja como pode ser feito, a seguir.

Exame físico geral

Deve-se mensurar o peso, a altura, a circunferência do pescoço e a pressão arterial. É fundamental avaliar a morfologia craniofacial de cada indivíduo, detectando alterações do desenvolvimento da maxila (hipoplasia) e da mandíbula (deficiência ou retroposição mandibular).

Diagnóstico

O diagnóstico para o ronco e apneia do sono são realizados por meio de estudo polissonográfico (PSG). Esse exame é realizado em laboratório especial (clínica do sono), em que o paciente é avaliado durante uma noite inteira enquanto está dormindo.

Como vimos, o ronco é um ruído produzido pela vibração da úvula e decorre do estreitamento do canal pelo qual o ar passa. Já a apneia do sono é um estágio avançado do ronco, associado a uma parada respiratória. Por conseguinte, é importante atentar à saúde bucal para evitar que distúrbios como esses afetem a sua qualidade de vida. 

Agora que você já sabe a diferença entre ronco e apneia do sono, continue com a visita no blog e leia nosso artigo sobre: parestesia bucal, suas causas e tratamento. Vamos lá?

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *