Retração gengival e má escovação: entenda já a relação

Tempo de leitura: 7 minutos

Todo mundo sabe que escovar os dentes regularmente é algo imprescindível para uma boa saúde bucal. Os maus hábitos de higiene podem contribuir para o aparecimento de inúmeros problemas, que vão desde o hálito ruim, até questões mais sérias, como cáries e inflamações da gengiva.

Além desses malefícios mais conhecidos, o que muitas pessoas não imaginam é que escovar os dentes de maneira errada também pode contribuir para a retração gengival, um problema bem sério, que pode trazer muita dor e desconforto ao paciente, além de, se não tratado, ser capaz de levar até a perda dos dentes.

Quer saber mais sobre esse assunto e entender melhor a relação entre escovação e retração gengival? Então, continue a leitura!

O que é retração gengival e por que se preocupar com ela?

A retração gengival, como o próprio nome indica, acontece quando a gengiva acaba se afastando do seu lugar de origem, tornando a raiz do dente exposta. Nesses momentos, é comum que alguns pacientes pensem de maneira errada que seus dentes estão ficando maiores.

O que está acontecendo, na verdade, é que a margem gengival (aquela que circunda o dente) não está mais onde deveria, expondo uma parte do dente que deveria ficar protegida.

Esse é um problema bem sério e que precisa de tratamento específico e rápido. Em um primeiro momento, o paciente poderá apenas apresentar uma sensibilidade na área, principalmente depois de ingerir alimentos quentes ou frios. Afinal, a camada mais sensível do dente (a dentina) estará em contato direto com esses alimentos.

Além da retração, o paciente ainda poderá apresentar concomitantemente outras doenças gengivais, pois quando a gengiva se retrai, é possível que se formem bolsas entre os dentes e a gengiva, facilitando o acúmulo de bactérias causadoras de doenças.

Se esse problema não for tratado, é possível que as estruturas que dão suporte ao dente acabem sendo danificadas de forma bastante severa, resultando na perda do dente afetado.

Quais são as principais causas desse problema e como a má escovação está relacionada?

Agora que você já entendeu o quanto a retração gengival é um problema grave, que tal compreender melhor as suas principais causas e evitar essa doença?

Má Escovação

A escovação incorreta é uma das principais causadoras da retração gengival. Nesse caso, o problema está na força excessiva aplicada durante o processo, o que causa um traumatismo da gengiva.

Além do excesso de força, o paciente também pode estar usando uma escova com mais de 3 meses de uso, com cerdas desgastadas, que têm chances maiores de agredirem a gengiva, sem limparem profundamente os dentes.

Aliás, a escolha correta da escova é algo fundamental, principalmente se você tem tendência a colocar mais força durante a escovação. Muitas pessoas optam por escovas com cerdas macias e acreditam, erroneamente, que precisam colocar mais força no processo para que essas cerdas consigam limpar melhor.

Optar por cerdas duras demais também não é uma boa ideia, porque elas podem agredir as gengivas e causar, além de retração, feridas que podem contribuir para o aparecimento de outras doenças gengivais.

Doenças Periodontais

As doenças periodontais são todas aquelas relacionadas à gengiva, que podem ser tanto inflamatórias quanto degenerativas, e acabam levando à destruição dos tecidos gengivais e dos ossos que dão suporte aos dentes.

O primeiro sinal de que algo não vai bem é a gengivite, o estado inicial da periodontite, e que pode ser revertido com o tratamento correto, mas que também é uma das causas mais importantes da retração gengival.

Esses problemas podem ser causados tanto por escovação ineficiente, contribuindo para o acúmulo de placa bacteriana, quanto devido à presença de restaurações mal adaptadas próximas à margem gengival, que podem inflamar o local devido à retenção de alimentos.

Má Oclusão

Os dentes mal posicionados podem influenciar na distribuição da força mastigatória. Quando a mastigação está desequilibrada e o paciente acaba apertando mais forte do que deveria os dentes, é possível que haja uma retração gengival.

Nesses casos, o uso do aparelho ortodôntico pode ser recomendado, independentemente de o paciente já ser adulto, conseguindo, com o tratamento certo, a reversão do quadro.

Outro problema que pode acontecer é o bruxismo, o ranger dos dentes no meio da noite, levando ao descolamento da gengiva, além de fortes dores musculares.

Quais são os principais sinais da retração gengival?

Como você pôde notar, a retração gengival tem inúmeras causas, mas na maioria das vezes o paciente consegue perceber que algo não está indo muito bem com a sua saúde bucal. Veja alguns indícios de uma possível retração — e de que é hora de procurar um dentista:

  • exposição da raiz do dente (o paciente pode notar como se o dente estivesse “maior” que de costume);
  • sangramento da gengiva durante a escovação;
  • sensação de que os dentes estão “moles”;
  • hálito ruim;
  • dor nos dentes;
  • sensibilidade excessiva a alimentos quentes e frios e até ao uso do talher;
  • gosto ruim na boca.

Ao notar esses problemas, procure imediatamente o seu dentista de confiança, já que, quanto mais cedo o transtorno for tratado, maiores são as chances de se evitar complicações.

Quais são os tratamentos para a retração gengival?

Tudo depende muito do grau da retenção gengival. Caso ela ainda seja pequena e causada prioritariamente por problemas de escovação, seu dentista poderá orientar você sobre as formas corretas de escolher a sua escova e de não colocar força excessiva durante o processo.

Porém, em situações um pouco mais graves podem ser necessários outros tipos de tratamentos, como a cirurgia gengival, buscando o reposicionamento das bordas gengivais na sua posição original. Em alguns casos, a cirurgia também deverá buscar repor o osso perdido por meio de enxertos ósseos, impedindo a perda do dente afetado.

Contudo, essas cirurgias são bastante desafiadoras e têm uma ação limitada. Assim, se a retração gengival não for tratada logo no início e o problema for bastante extenso, pode não haver maneiras de o dentista conseguir repor o osso perdido e nem reposicionar a gengiva.

De qualquer modo, é essencial que o paciente modifique os seus hábitos para evitar que o problema aconteça em outros dentes. Usar escovas de dentes com cerdas macias, não aplicar força excessiva e usar o fio dental diariamente e em todos os dentes são medidas extremamente importantes para garantir uma ótima saúde bucal.

Lembrando que não existe uma técnica de escovação que seja ideal para todos os tipos de pacientes, já que isso dependerá da habilidade individual, do posicionamento e formato dos dentes, da arquitetura gengival e também da existência de restaurações e próteses.

Assim, o mais recomendado é que o seu dentista faça uma avaliação completa da sua boca e indique a técnica mais adequada e a melhor escova para o seu caso. Por isso, não tenha receio de questioná-lo sobre o assunto.

Agora a relação entre retração gengival e má escovação já está mais clara? Ajude os seus amigos a terem uma ótima saúde bucal compartilhando este post nas suas redes sociais!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *