Quanto tempo dura um tratamento de implantes dentários?

Tempo de leitura: 6 minutos

Embora o assunto tenha se tornado mais comum nos últimos anos, muitas pessoas ainda têm dúvidas e curiosidades sobre a prática de implantes dentários. Elas se perguntam como é o procedimento, se dói e quanto tempo dura o tratamento.

Se você se enquadra nesse grupo, está no lugar certo. Neste artigo vamos abordar essas (e outras) questões, trazendo ainda mais clareza sobre o assunto para você. Confira!

Afinal, o que é o tratamento de implantes dentários?

O implante é um tratamento odontológico que tem como objetivo substituir a raiz de um dente natural que foi perdido. Essa intervenção tem a intenção de criar a base para uma coroa ou servir de sustentação para a fixação de uma prótese.

O procedimento acontece de forma personalizada, mas sempre tem como propósito colocar o implante no osso da arcada dentária. Essa é uma maneira de realmente fixar a peça e torná-la segura.

Portanto, antes de qualquer coisa, é fundamental uma consulta com o implantodontista para entender todo o processo. Nesse momento, o profissional vai procurar saber um pouco mais do paciente e se informar sobre: possíveis doenças, quais são as expectativas do tratamento, se ele possui o hábito de fumar, como é o ambiente familiar e profissional, entre outros detalhes.

Sabendo disso, é hora de o especialista explicar, de forma bem clara, o que vai ser feito, os recursos que vai usar e os possíveis resultados. Esse ponto é crucial para o sucesso do tratamento e faz com que o paciente comece a confiar nele. 

Vale lembrar que, antes da cirurgia de colocação dos implantes dentários, é fundamental checar como está a saúde bucal. Esse é o momento para remover possíveis cáries, fazer restaurações, destartarização, entre outros procedimentos.

Essa é a melhor maneira de prevenir contaminações bacterianas e manter o paciente seguro. Por mais simples que seja, o implante dentário é uma cirurgia e é bom tomar todos os cuidados necessários.

Como o procedimento é feito?

Conforme falamos, os primeiros passos são colocar o paciente a par do que será feito e realizar a higienização da boca. Depois disso, coloca-se uma prótese provisória, que tem duração de algumas semanas. Essa é uma maneira de fazer com que ele perceba as mudanças que o procedimento vai trazer para a sua vida e garantir a aceitação.

O processo de adaptação acontece de forma personalizada, ou seja, atinge cada pessoa de uma maneira. Isso pode influenciar no tempo do tratamento, já que faz parte da preparação e cada um tem uma condição bucal diferente. Entretanto, vale frisar que somente depois dessa etapa é possível agendar a colocação do implante.

Quanto tempo dura?

O procedimento de implantação costuma durar entre 1 e 2 horas. O implante dentário é feito com um pino de titânio, que tem alta durabilidade e garante ótima aderência e bons resultados.

Ainda assim, vale lembrar que o tratamento pode ter durações distintas. Conforme falamos, se o paciente apresentar outros problemas bucais, terá que resolver cada um deles antes do procedimento. Isso significa que o processo será mais longo.

Por outro lado, quando a boca está em boas condições de higienização, tudo acontece de forma mais acelerada. Imagine uma pessoa que está com tudo em dia, mas perde o dente praticando algum esporte, por exemplo. Como está saudável, pode se submeter ao implante com mais velocidade, demorando normalmente menos de 2 dias para voltar a ter o sorriso e a mesma estética de antes. Sensacional, não é?

Como é o processo depois?

Depois que o implante foi feito, existe um período de cicatrização. A intervenção é simples, mas, ainda assim, invasiva. Isso significa que o organismo precisa passar por um período de adaptação e cura, seguido pela integração óssea.

Esse processo é um pouco mais demorado e pode durar até 6 meses — quando a arcada dentária é normal e saudável. Isso significa que, em casos de maior complexidade, é possível que demore um pouco mais (como quando há a necessidade de fazer um enxerto ósseo, por exemplo).

Uma semana após a inserção, é importante que o paciente volte para fazer um controle pós-operatório. É nesse momento também que acontece a remoção da sutura, ou seja, dos pontos cirúrgicos.

Como os resultados são muito bons, algumas pessoas costumam perguntar se existe a possibilidade de extrair os dentes genuínos para realizar o implante em seguida. É bom deixar claro que os naturais são sempre melhores que as próteses.

Ainda assim, existem algumas situações em que os dentes podem estar muito comprometidos, como é o caso de quem passou por uma doença periodontal. Nesse cenário, a situação deve ser avaliada com o implantodontista a fim de analisar se essa opção é ou não viável.

O que pode dificultar?

Além das questões de higienização que citamos acima, existem outros pontos que podem dificultar os implantes dentários. Um exemplo seria quando a quantidade e a qualidade do osso residual não é o suficiente, ou seja, o osso existente não consegue segurar o novo dente.

Nesse caso, é fundamental recorrer a procedimentos cirúrgicos mais elaborados, trabalhando na regeneração e, em seguida, no enxerto.

O que é implante com carga imediata?

Quando o assunto é a duração do tratamento de implantes dentários, não poderíamos deixar de falar da opção com carga imediata. Nesse caso, a técnica prevê que uma prótese definitiva seja colocada logo depois da cirurgia, assim o paciente não precisa esperar o processo de osseointegração para garantir o sorriso.

Os implantes com carga imediata são possíveis tanto para os casos unitários como para aqueles de reabilitação completa de uma arcada e o que vai definir o sucesso desta técnica é a quantidade de osso remanescente nos locais onde os implantes serão colocados.

Quais são os custos?

Os implantes dentários costumavam ser uma opção cara e inacessível há alguns anos, mas a realidade mudou bastante. Hoje os preços variam muito, com opções mais em conta, sempre dependendo do caso e das especificidades do tratamento.

Se a intervenção for elaborada, é natural que custe mais caro. Alguns pacientes também gostam de usar materiais importados, o que pode encarecer ainda mais. O ideal é avaliar o caso com o seu dentista e entender que tipo de implante deve ser feito, bem como qual seria o valor do investimento nesse caso. Dessa forma fica mais fácil se programar.

Depois de esclarecer essas dúvidas sobre a realização de implantes dentários, ficou mais simples entender que essa é uma alternativa viável, que pode transformar o seu sorriso e a sua autoestima, não é mesmo? Quer continuar por dentro de dicas e informações interessantes? Assine a nossa newsletter e receba tudo diretamente no seu e-mail!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

1 Comentário

  1. keiko shynaida

    Quero agradecer DR.Francisco,que foi de extrema importância pra mim hoje!Tudo que eu queria saber ,assim foi tirada todas as minhas duvidas e medo.Excelente explicação!Gratidão Dr.Francisco!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *