Qual é a durabilidade das próteses dentárias? Descubra aqui!

Tempo de leitura: 7 minutos

Lidar com a perda de um ou mais dentes pode ser algo bastante complicado e que vai além das questões estéticas, influenciando principalmente no bem-estar do paciente, causando dificuldades de mastigação e até na fala.

Para resolver esses problemas, a prótese dentária é a principal escolha, porém, o que muitos pacientes desconhecem é que existem vários modelos, que podem exigir cuidados igualmente diferenciados.

Neste conteúdo, falaremos sobre a durabilidade das próteses dentárias, ajudando você a entender os cuidados que deverá tomar e também os modelos mais indicados para as suas necessidades. Confira!

Quais são os tipos de próteses dentárias?

Responder a questão sobre a durabilidade das próteses dentárias passa por muitos pontos, como: o tipo de prótese, o material usado e também os cuidados que o paciente apresenta.

De acordo com um estudo da Faculdade de Odontologia da USP, as próteses fixas e as removíveis têm uma duração média de 5 anos (com exceção da prótese fixa com mais de dois elementos em porcelana, que tem uma durabilidade média de 10 a 15 anos).

Muita gente não sabe, mas existem diferenças significativas nos tipos de próteses, sendo as mais usadas as listadas abaixo.

Prótese total removível

Essa é a prótese mais comum e popularmente chamada de “dentadura”. Ela é indicada para pacientes que perderam todos os dentes, ajudando a melhorar a estética e também a função mastigatória, de comunicação e até de respiração do paciente.Normalmente, ela é feita a partir de um molde capaz de reproduzir o maxilar e a mandíbula do paciente, com uma estrutura removível com dentes de resina. Com a evolução tecnológica, esse tipo de prótese está cada vez mais elaborado, reproduzindo o tamanho, a cor e o formato dos dentes de forma bastante natural.

Prótese parcial fixa

Conhecida como “coroa” ou “ponte”, esse tipo de prótese é recomendada para aquelas pessoas que perderam uma quantidade pequena de dentes e que apresentam dentes anteriores e posteriores capazes de oferecem suporte à prótese.No começo, elas eram basicamente feitas em metal e porcelana, mas hoje já é possível encontrar opções com estruturas não metálicas, como o caso das próteses feitas em zircônia.

Como existem vários tipos de técnicas e de materiais, a durabilidade poderá variar muito, já que determinados componentes podem ser mais ou menos resistentes. Além disso, a participação do paciente é fundamental, higienizando corretamente a estrutura de suporte.

Prótese parcial removível

É indicada para pacientes que perderam poucos dentes naturais e, diferentemente daanterior, essa prótese não necessita do desgaste dos dentes adjacentes. Porém, o dentista deve ser bem criterioso, pois é fundamental que esses dentes de suporte tenham uma boa saúde, já que eles precisarão suportar toda a estrutura metálica que compõe a prótese.Normalmente, a manutenção é mais fácil que a anterior, porque permite ao paciente retirá-la completamente da boca para a higienização. Contudo, ela precisa ser feita após todas as refeições e esse cuidado também influencia na durabilidade.

Prótese flexível

É uma alternativa ao uso da prótese parcial removível e, como o próprio nome indica, é feita em resina flexível, evitando o uso dos grampos metálicos presentes nos modelos tradicionais. O resultado é uma aparência mais natural ao paciente.O seu uso, contudo, está mais restrito aos idosos como prótese provisória ou em casos de reabilitação oral, quando é necessário manter o espaço entre os dentes naturais.

Prótese sobre implantes

Os implantes são feitos em metal e instalados diretamente sobre o osso da maxila ou da mandíbula. Sobre esses “pinos de metal” são incluídas as próteses dentárias, que podem ser parafusadas ou apenas encaixadas.

Essa é uma alternativa que traz um resultado bem mais natural e ainda oferece mais segurança aos pacientes. Contudo, pessoas que apresentam doenças sistêmicas, como diabetes, osteoporose ou HIV, precisam de cuidados extras na hora da manutenção da prótese.

Quais cuidados são necessários?

Como você viu, o tipo de prótese influencia diretamente na sua durabilidade, já que cada técnica pode exigir cuidados diferenciados, bem como o material escolhido pode ser mais ou menos resistente.

Porém, é consenso que os cuidados dos pacientes são fatores fundamentais na durabilidade da prótese. Algumas dicas são:

  • uso de escova com cerdas macias, que evitam os riscos e outras agressões às próteses mais sensíveis, como as de porcelana;
  • escovação frequente sempre após todas as refeições, tanto da prótese (no caso das removíveis) quanto das estruturas adjacentes;
  • visitas regulares ao seu dentista, visando avaliar a sua saúde bucal e também a qualidade da prótese;
  • uso de escovas especiais, como as interdentais e as de tufo, que ajudam a alcançar áreas mais difíceis;
  • uso do passa fio que ajuda a atingir a região de baixo dos dentes unidos da prótese;
  • cuidados com a alimentação, sempre seguindo as orientações do seu dentista.

O que pode diminuir a durabilidade das próteses dentárias?

A má escovação e a falta de cuidado com a higiene podem levar a problemas sérios que, além de outras questões, ainda influenciam diretamente na durabilidade das próteses dentárias. Veja alguns deles.

Cáries

As cáries podem ser responsáveis por infiltrações nas próteses, levando a um declínio na durabilidade. Normalmente, o problema acontece com mais frequência naquelas próteses instaladas sobre dentes que passaram por um tratamento de canal, já que eles costumam se tornar insensíveis à dor, dificultando o diagnóstico precoce.

Fraturas

As próteses de porcelana fixas são mais suscetíveis às fraturas, principalmente aquelas instaladas sobre implantes osseointegrados. Quando uma fratura acontece, é preciso substituir todas as peças imediatamente.

Retrações gengivais

A retração da gengiva é algo natural conforme envelhecemos, contudo, quando usamos próteses essa situação se torna ainda mais frequente e intensa. Com o tempo, a gengiva vai se retraindo, tornando as próteses pouco naturais e bastante desconfortáveis, sendo recomendada a sua troca.

Geralmente, as próteses que apresentam uma menor quantidade de metal e tecnologia mais moderna necessitam de menos substituições devido à retração gengival.

Questões estéticas

Além dos problemas de saúde, as questões estéticas também podem levar os pacientes a substituírem suas próteses, sendo o principal motivo a perda do brilho e da cor original.

Alguns dos motivos que causam esse problema são: uso de escovas inadequadas, consumo de alimentos ácidos, baixa qualidade do material usado na prótese, entre outros.

Material utilizado

Hoje existem inúmeras técnicas e materiais empregados nas próteses dentárias, sendo alguns mais duráveis que outros. Em geral, os modelos confeccionados sobre estruturas metálicas (bastante comuns na maioria dos consultórios) são as que apresentam menor durabilidade.

Em comparação, as mais duráveis costumam ser as próteses confeccionadas em estruturas não metálicas, como a alumina e a zircônia, ou ainda os modelos em porcelana pura. Consequentemente, essas são as que têm valor mais elevado.

Quando trocar a prótese?

O mais indicado é visitar o seu dentista, pois somente ele poderá analisar o seu caso. Contudo, existem alguns sinais indicativos de que a sua prótese precisa ser trocada, como:

  • próteses escurecidas, manchadas ou ásperas;
  • dores no pescoço e na cabeça;
  • dificuldades de uso, como para mastigar;
  • presença de problemas orais, como rachaduras, fissuras, ardência, entre outros.

Já deu para notar que responder qual é a durabilidade das próteses dentárias depende de muitos fatores, não é mesmo? E um deles é a perícia do seu dentista, capaz de usar técnicas e materiais modernos e resistentes.

Se você está precisando de uma prótese, que tal conhecer o nosso trabalho? Agende agora mesmo uma avaliação!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

2 Comentários

  1. José Maria da Rocha

    Bom dia srs.
    Como devem ter identificado moro em Patos de Minas MG. É como estou longe de Brasília gostaria que me envie por alto +/- quanto fica cada protese total fixa. Estou precisando de ambas, tanto Sup. quanto inferior. Sei que vão dizer que precisa de uma avaliação, mas tb sei que podem fornecer mais ou menos o valor de cada para que eu possa me programar. Desde já agradeço sua atenção e compreensão.
    Fico no aguardo de uma resposta.

    Responder
    1. Dr. Francisco

      Olá José Maria, como vai?
      Realmente só é possível verificar essa questão de valores após uma avaliação. O custo de um tratamento depende de alguns fatores como: a sua saúde bucal do paciente, o tempo de tratamento e os materiais utilizados em cada procedimento.
      Minha recomendação é que você identifique boas clínicas aí perto de você para realização uma avaliação. E para o sucesso do seu tratamento, é importante que no momento da avaliação você pergunte ou até observe:
      A estrutura da clínica;
      A especialização do profissional que irá realizar o procedimento;
      Esterilização;
      Qualidade dos materiais utilizados no procedimento;
      entre outros.

      Abraços!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *