O que pode causar a perda do esmalte dentário?

Tempo de leitura: 8 minutos

Assim como o restante do organismo humano, os dentes (e a boca em geral) pode desenvolver diversos problemas e doenças. Infecções, inflamações, fungos, feridas e úlceras são alguns exemplos, e ainda há a perda de tecido, como o ósseo e o esmalte dentário.

Pode parecer que os dentes são totalmente resistentes, já que se trata de uma estrutura bastante forte. Porém, o esmalte dentário não está 100% imune de problemas, afinal, ele pode ser corroído, como pela cárie, por exemplo.

E não é somente esse problema que afeta o tecido. Ainda há outros que são capazes de causar a sua perda e provocar problemas bucais mais expressivos — e, neste post, vamos conversar um pouco sobre isso.

Continue lendo e entenda a importante função do esmalte dentário, o que pode agredi-lo e como tratar os problemas que o afetam. Confira!

O que é o esmalte dentário?

O esmalte dentário é um dos tecidos que compõem o corpo humano, e é considerado o mais mineralizado do organismo. Por isso, apresenta uma grande dureza, ou seja, é bastante resistente e não se danifica facilmente.

A função do esmalte é recobrir a parte mais sensível do dente — a dentina e a polpa —, onde estão os tecidos nervosos. Também é função do esmalte dentário oferecer força e resistência para que possamos nos alimentar.

Aliado à força da mandíbula, o esmalte dentário ajuda a partir e triturar os alimentos com facilidade. Ele não tem sensibilidade, porque não tem terminações nervosas. Sendo assim, o que afeta apenas o esmalte não causa dor.

No entanto, sem a proteção do esmalte dentário não é possível comer sem sentir dor, porque a parte nervosa dos dentes ficaria exposta. Isso também aumentaria as chances de desenvolvimento de problemas bucais.

Mas, apesar de ser um tecido mineral duro, o esmalte não é invulnerável e pode ser danificado por vários fatores. Sendo assim, é necessário oferecer nutrientes e cuidados para prevenir danos.

O que causa a perda do esmalte dentário?

A perda do esmalte dentário requer muita atenção, porque mesmo uma exposição mínima das partes nervosas do dente pode causar dores e desconfortos, além de favorecer o surgimento de doenças e problemas bucais.

A seguir listamos e explicamos diversos fatores que causam essa perda. Acompanhe!

Cáries

A cárie é um problema bucal muito comum, que ocorre em função da proliferação de bactérias na boca. Elas produzem ácidos capazes de corroer o esmalte, provocando danos em sua superfície.

Quando muito lesionado, o dente não se forma outra vez, assim, fica com buracos, que somente podem ser restaurados com materiais específicos para selagem, como a resina. Esse problema pode ser tão grave a ponto de levar à perda do dente.

Alimentos ácidos

O consumo excessivo de alimentos cuja acidez é alta também causa a perda do esmalte, provocando a erosão dentária. Alguns deles são as frutas cítricas, os refrigerantes e os doces, porque o açúcar eleva a acidez bucal.

É muito importante reduzir o consumo desses alimentos e realizar a devida higienização bucal após a ingestão a fim de eliminar resíduos e manter o pH da boca em equilíbrio.

Acidez estomacal

Da mesma forma como a acidez dos alimentos danifica o esmalte dentário, aquela proveniente do estômago causa o mesmo problema. Os ácidos estomacais, quando em contato com os dentes, provocam a sua erosão.

Pessoas que sofrem com refluxo gastroesofágico ou que apresentam transtornos alimentares, como a bulimia, são mais propensas a sofrerem a perda do esmalte. O vômito também promove o contato do ácido estomacal com os dentes, por isso, quando ele é constante, leva à perda do tecido.

Bruxismo

O bruxismo consiste no ato involuntário de ranger ou apertar os dentes. Ele pode acontecer durante o sono ou em estado de vigília, sendo que a pessoa não percebe que está fazendo esses movimentos.

A força exercida é muito intensa, e quando os dentes são friccionados uns contra os outros, o atrito causa o desgaste do esmalte. Em alguns casos, surgem também trincas e fraturas no dente, em função da grande pressão que a mandíbula realiza.

Creme dental abrasivo

Os cremes dentais que têm partículas abrasivas causam a perda do esmalte dentário. Afinal, ao ser friccionado no esmalte, ele atua como uma lixa, retirando as manchas justamente por que extrai uma fina camada mineral.

Com o tempo, o uso contínuo e sem acompanhamento profissional provoca um desgaste expressivo do esmalte, que fica mais poroso e deixa os dentes vulneráveis. Manifesta-se, então, a sensibilidade, bem como o aumento dos riscos de outros problemas e o favorecimento de formação de manchas.

Escova com cerdas duras

Escovas com cerdas muito duras exercem um atrito intenso nos dentes e, assim como os cremes dentais abrasivos, geram a perda contínua do esmalte. Além desse problema, essas escovas ferem a gengiva e causam sua retração, provocando sensibilidade.

Quando as escovas duras são associadas a uma escovação intensa, o problema se torna mais grave. Porém, mesmo escolhendo uma escova macia, se a escovação for feita com muita força e com movimentos muito fortes, também há o risco de danificar os dentes.

Traumas e maus hábitos

Os traumas dentários provocam a perda do esmalte em função da quebra desse tecido, o que pode ocorrer por causa de acidentes, como pancadas na boca, ou em função de maus hábitos, como morder objetos duros.

Nesse último caso, o atrito dos objetos desgasta o esmalte aos poucos. Se o hábito for contínuo, a cada dia haverá uma pequena perda, até que ela se torne significativa e comece a causar incômodos.

Quais são os tratamentos?

Como você viu, vários fatores agridem o esmalte dentário e causam a sua perda. Felizmente, é possível tratar um dente gasto e recuperar a sua funcionalidade, bem como aliviar os incômodos desse problema.

Quando o desgaste é pequeno, é possível fazer a remineralizarão do dente, com aplicação de flúor realizada pelo profissional por um período determinado por ele. Porém, quando os danos são moderados ou graves, são necessárias intervenções maiores.

A aplicação de resina é um dos tratamentos utilizados. O procedimento remodela os dentes gastos ou tampa os buracos causados pela cárie, por exemplo. Também é possível utilizar blocos ou coroas para recuperar danos maiores.

O uso de facetas de porcelana e lentes de contato é mais uma opção. Elas recobrem os dentes danificados, devolvendo o aspecto saudável e a simetria, e podem ser utilizadas para tratar apenas um dente ou vários.

O tratamento a ser adotado depende de cada caso, da extensão da perda e de quantos dentes foram afetados. Por isso, somente o dentista está apto para definir qual é o melhor plano de ação.

Lembrando que, quando a perda está relacionada a outros problemas, como os gástricos, é preciso também tratar essa questão.

O ideal é evitar que o esmalte se desgaste para não precisar recorrer aos tratamentos de reabilitação. Para isso você deve:

  • realizar uma boa higiene bucal após cada refeição;
  • moderar o consumo de alimentos ácidos;
  • aumentar a ingestão de água;
  • tratar problemas gástricos;
  • evitar fatores estressantes que estimulem o bruxismo;
  • usar o creme dental recomendado por seu dentista;
  • preferir escovas com cerdas macias;
  • evitar morder objetos ou usar os dentes para fazer força;
  • proteger os dentes ao praticar esportes.

Além disso, fazer o acompanhamento odontológico periodicamente é essencial para que sua saúde bucal fique em dia. O dentista avaliará sua boca e seus dentes, identificando possíveis problemas ainda no começo e indicando os tratamentos para evitar que eles se agravem.

O esmalte dentário é uma proteção muito importante para os dentes. Além de garantir saúde para eles, trata-se da parte visível do sorriso, então, deve ser bem conservado. Esteja atento aos cuidados com a higiene bucal, mantenha uma alimentação equilibrada, evite maus hábitos e visite seu dentista a cada seis meses. Isso lhe garantirá um belo sorriso!

Você tem cuidado bem do esmalte dos seus dentes? Nós podemos ajudar a responder essa pergunta com precisão: entre em contato conosco e agende uma consulta de avaliação!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *