Mini-implante dentário: entenda o que é e para quem é indicado

Tempo de leitura: 3 minutos

Diariamente, a tecnologia gera possibilidades para aprimorar produtos e serviços, inclusive na área de odontologia. O mini-implante dentário é um excelente exemplo de evolução que oferece uma série de benefícios para os pacientes.

Seja na ortodontia ou na implantodontia, esse recurso apresenta vantagens em relação a opções mais tradicionais, além de proporcionar excelente adaptação pelo paciente.

Continue a leitura para saber mais sobre as possibilidades desse tratamento e em quais casos ele é indicado!

O que é um mini-implante dentário?

O mini-implante é uma peça metálica — produzida em titânio ou aço cirúrgico — utilizada como tratamento auxiliar na ortodontia ou como sustentação de próteses na implantodontia.

Na ortodontia, ele é utilizado para auxiliar as movimentações dentárias, seja para atuar como âncora e evitar o deslocamento de um dente específico, seja para facilitar o reposicionamento de acordo com determinada necessidade.

Já na implantodontia, o mini-implante dentário é uma opção para a fixação de próteses overdentures e sobredentaduras.

Em ambos casos ele é colocado nos ossos da mandíbula ou da maxila. Sua espessura, que varia entre 1,2 mm e 2 mm, é menor em comparação com as das opções tradicionais, o que facilita o processo de colocação e adaptação.

Para quem é indicado esse tipo de tratamento?

O mini-implante é amplamente utilizado na ortodontia, salvo casos específicos de alergia a algum componente do material.

Ele também é uma alternativa mais segura e fácil de implante dentário. É a solução para pacientes que não podem realizar os procedimentos tradicionais e para aqueles que tiveram perda óssea. Como a peça é menor, em alguns casos ela elimina a necessidade de enxerto ósseo para sua colocação.

Quais são as vantagens do mini-implante dentário?

Rapidez nos tratamentos ortodônticos

A colocação de um mini-implante agiliza os tratamentos ortodônticos, favorecendo a movimentação desejada e evitando as indesejadas. Dessa forma, a peça garante resultados positivos em menos tempo.

Ele também não exige cuidados adicionais após sua colocação; é necessário apenas fazer uma higienização bucal correta, para evitar o surgimento de inflamações e infecções.

O acúmulo de alimentos no local gera doenças na gengiva, levando à necessidade de retirada da peça, além de outras complicações. Por isso, é fundamental escovar os dentes após cada refeição, usar fio dental diariamente e enxaguante bucal com frequência semanal.

Além disso, é essencial o acompanhamento do dentista após a colocação da peça, para verificar o progresso do tratamento e a inexistência de qualquer possível complicação.

Mais possibilidades na implantodontia

Como mencionamos, o mini-implante dentário é uma opção para pacientes que não podem fazer outros tipos de procedimentos.

O seu uso para fixação de próteses do tipo overdenture e de sobredentaduras colabora para a melhoria da qualidade de vida do paciente, proporcionando maior estabilidade e uma boa adaptação.

Seja qual for sua aplicação, o mini-implante dentário é uma inovação que trouxe uma série de possibilidades para a odontologia. Mas lembre-se de que somente o dentista poderá analisar quando seu uso é necessário e qual procedimento é mais indicado.

Quer saber mais sobre esse tipo de tratamento? Agende agora mesmo uma consulta de avaliação em um dos nossos consultórios!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *