Fluorose dental: entenda o que é e quando ela acontece

Tempo de leitura: 3 minutos

O flúor é um dos minerais essenciais para garantir força e proteção aos dentes. Mas, quando ele está em excesso no organismo, traz complicações para a dentição, como a fluorose dental.

Você já ouviu falar sobre esse problema? Sabe ao certo como ele acontece?  Entenda em que momento da vida a fluorose se manifesta e como ela é tratada. Vamos lá?

O que é a fluorose dental?

A fluorose dental é um problema que afeta o esmalte dos dentes quando existe o contato excessivo com o flúor. Embora seja um mineral benéfico para a formação e manutenção deles, quando recebem demais esse nutriente acabam sofrendo complicações na estrutura do esmalte.

Essa condição traz, principalmente, prejuízos para a estética do sorriso. Isso porque ela se caracteriza por manchas num tom branco fosco, amarelado ou marrom. Sendo assim, os dentes perdem sua cor branca natural.

Nos casos mais graves de fluorose dental ocorrem complicações para a saúde bucal. Isso porque se a gravidade for intensa, acontece a desmineralização do esmalte. Nessas situações, os dentes nascem com sinais de corrosão, o que desencadeia sensibilidade e dor.

Quais são as causas desse problema?

A fluorose dental é um problema que inicia durante a formação dos dentes decíduos ou dos permanentes. No primeiro caso ela é mais rara, porque é difícil que fetos ou crianças muito novas tenham tanto contato com o flúor.

Mas, durante a infância, quando os dentes permanentes estão se formando, isso pode acontecer e, na verdade, tem se tornado cada vez mais comum. Afinal, uma das causas da fluorose está no uso produtos para higienização bucal enriquecidos com flúor.

Para cuidar dos dentes das crianças é preciso que a pasta de dente, o enxaguante bucal e também as aplicações extras do mineral sejam feitas sob medida. Tudo isso para evitar que o organismo receba flúor em excesso.

Não podemos esquecer que essa substância também está presente na água de abastecimento público e alguns alimentos também são ricos nesse nutriente. Então, o contato excessivo pode vir dessas fontes.

Existem medicamentos, tanto em gotas como comprimidos, que contêm o flúor. Por isso, é fundamental sempre seguir as recomendações de médicos e evitar a automedicação. Tudo para que a junção desses fatores não venha a provocar a fluorose.

Quais são as opções de tratamento?

O ideal é que seja feita a prevenção da fluorose dental, porque uma vez que os dentes permanentes sofrem contato excessivo com o flúor, esse problema se mantém durante toda a vida. Então, as manchas que surgem nos dentes das crianças continuam nos adultos.

Quando o caso não é grave, o tratamento da fluorose é feito por meio de uma microabrasão no esmalte, em que um pequeno desgaste químico é realizado para que o dente consiga atingir uma coloração natural.

Para os casos mais graves, com manchas muito escuras, existe a opção do clareamento. Ela pode ser realizada após a microabrasão, para alcançar resultados ainda melhores e eliminar todas as manchas.

Outra opção seria o uso de lentes de contato ou facetas de porcelana. Elas recobrem os dentes naturais, escondendo as manchas que possuem. Assim, passam a ter um aspecto mais branco e saudável. Também são uma alternativa quando os dentes permanentes sofreram alterações em sua estrutura.

O tratamento sempre é indicado de acordo com a gravidade do problema e considerando-se a idade do paciente, o número de dentes afetados e outros fatores relevantes. Por isso, além de evitar que a criança tenha contato excessivo com o flúor, se as manchas se manifestarem é fundamental procurar um profissional.

Embora apenas em alguns casos a fluorose dental traga complicações para a saúde bucal, é importante buscar tratamento. Afinal, as perdas estéticas são expressivas e isso abala a autoestima da pessoa, interferindo em suas relações profissionais e sociais.

Que tal aprender um pouco mais sobre o flúor dental? Leia este outro artigo e confira 10 mitos e verdades desse mineral.

Sobre Dra Caroline

Dra Caroline Wolff Marra
Coordenadora Clínica da Vital Implantes e Tratamentos dentários
CRO: 10849-DF
Graduada em 2014 pela Universidade Católica de Brasília

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *