Conheça os diferentes tipos de implantes dentários

Tempo de leitura: 6 minutos

O implante dentário é uma solução extremamente importante para pacientes que sofrem com a perda de um ou mais dentes, sendo capaz de devolver não apenas a autoestima mas também a função mastigatória e a qualidade de vida de várias pessoas. Para isso, existem vários tipos de implantes dentários que são mais ou menos indicados de acordo com cada caso.

Definir o tipo certo e a tecnologia que será empregada é primordial para o sucesso desse tratamento. Por isso, é muito importante buscar ajuda de um implantodontista (dentista especializado em implantes), que tenha experiência e familiaridade com as várias opções entre as quais se pode escolher.

Se interessou? Continue a leitura para saber mais!

O que é o implante dentário?

O implante dentário é uma espécie de pino ou “parafuso”, feito de titânio na maioria das vezes, que é colocado dentro do osso maxilar (abaixo da gengiva). Esse pino tem como objetivo substituir a raiz do dente. Em cima dele o dentista fará a prótese, que será a parte “visível” do dente e pode ser produzida em vários materiais, como cerâmica, resina, porcelana, entre outros.

A técnica é indicada para as pessoas que sofrem com a perda dentes. É bastante comum que alguns pacientes procurem dentistas quando estão com os dentes manchados ou apresentando algum problema, desejando extraí-los e substituí-los por meio desse tratamento.

Vale lembrar que a extração, hoje em dia, é apenas o último recurso da odontologia, ou seja, só é realizada quando todos os outros procedimentos disponíveis não apresentam os resultados esperados.

Quais são os tipos de implantes dentários?

Somente um dentista especializado poderá avaliar a sua condição e a sua saúde bucal, encontrando o melhor tipo de implante para o seu caso. Antes de se decidir por um tipo específico, o profissional deverá solicitar alguns exames, como os de imagem, garantindo um planejamento adequado e eficaz do tratamento.

Saiba quais são os tipos de implantes dentários mais usados nos consultórios:

Implante unitário

É recomendado para os pacientes que perderam apenas um dente, ou quando há perda de dentes não sequenciais. Nesse caso, a raiz do dente ausente é substituída pelo pino de titânio e sobre ele ficará a prótese (o dente artificial), substituindo a coroa.

Para que esse tratamento seja bem sucedido é essencial uma avaliação minuciosa do paciente, que precisará ter massa óssea suficiente para suportar o implante.

Pessoas que perderam o dente há muitos anos e não procuraram tratamento podem necessitar de um enxerto ósseo. Isso porque, conforme o tempo passa, o nosso corpo é capaz de “entender” que o osso não tem nenhuma função por não suportar dente algum e dar início à reabsorção óssea.

Implante de carga imediata

Quando realizamos uma cirurgia de implante é necessário aguardar pelo período que chamamos de osseointegração (ou osteointegração). Esse é o tempo que o pino de titânio leva para se integrar ao osso do maxilar, garantindo estabilidade ao implante. Somente depois desse período é que o dentista fará a prótese.

Na carga imediata não existe tempo de espera. Ou seja, é possível fazer a extração do dente e logo em seguida já realizar o procedimento de implante, e o dentista poderá incluir na mesma sessão a coroa provisória ou definitiva. Assim, o paciente sai do consultório com um dente “novo” no mesmo dia em que coloca o pino de titânio.

Apesar de ser mais prático e rápido, esse tratamento não é indicado para todos os casos. Pacientes fumantes, com bruxismo, osteoporose ou outros problemas bucais não são candidatos à carga imediata. O dentista ainda avaliará a sua capacidade óssea.

Implante com prótese protocolo

É indicado para pacientes que estão com grande parte dos dentes comprometida. O modelo usa de 4 a 8 implantes para suportar a prótese. O resultado final é muito vantajoso para os pacientes, pois a prótese ficará fixa, oferecendo mais segurança à mastigação e sendo uma alternativa à prótese removível (dentadura).

O único inconveniente desse procedimento é que a prótese protocolo requer um pouco mais na hora da higienização, pois todos os dentes estão conectados entre si, exigindo mais cuidados para evitar problemas como infecções na gengiva.

É possível que a prótese seja confeccionada em porcelana ou em resina.

Implante com prótese overdenture

Também é indicado para pacientes que apresentam perda significativa dos dentes. A grande vantagem é que essa prótese possui um custo mais acessível, já que, ao contrário da anterior, ela é fixada em menos implantes (entre 2 a 6).

A prótese overdenture funciona como uma dentadura, porém é fixada por meio de uma barra que liga os pinos à prótese, oferecendo mais segurança na hora de mastigar e facilidade para a higienização, já que o paciente consegue removê-la.

Normalmente, a overdenture é confeccionada em resina e os pinos são colocados cirurgicamente sob a gengiva.

Implantes zigomáticos

São semelhantes aos demais implantes, o que muda é o ponto de fixação. Enquanto no método tradicional os implantes de titânio são fixados no maxilar, neste caso a fixação é feita nos ossos zigomáticos (que formam a maçã do rosto). Ele é indicado para pessoas que sofrem com atrofia severa do maxilar, de maneira a substituir o enxerto ósseo.

Implantes all-on-four

Também conhecida como todos os “dentes em quatro”, a técnica é indicada para pacientes que perderam os dentes na região do maxilar inferior. Assim, são usados apenas 4 implantes para fixar todos os dentes.

As próteses são compostas por 12 dentes artificiais aparafusados sobre os 4 implantes. A principal vantagem é que essa é uma prótese fixa e que oferece mais segurança e estabilidade ao paciente.

Implantes all-on-six

Pode ser chamada de todos os dentes em seis implantes e é muito semelhante à técnica anterior. A diferença é que ela é mais indicada para pessoas com perda severa de dentes no maxilar superior. A razão disso é que nessa região existe a necessidade de fixação é maior, e assim precisam ser usados mais que no método anterior.

Além das várias opções de técnica, os implantes dentários ainda podem variar de acordo o seu material. Embora o titânio seja de longe o mais usual, já existem outros materiais que visam substituí-lo:

  • zircônia: é bastante resistente, principalmente às forças das mastigação e à ação do tempo. Ainda possui cor branca e semelhante à raiz natural dos dentes;

  • nanotecnologia: apresenta uma cicatrização mais rápida, reduz o risco de infecções e oferece uma osteointegração mais rápida e mais estável, sendo muito empregada nos casos de implantes de carga imediata;

  • biológicos: é uma técnica moderna que utiliza materiais mais compatíveis com o nosso organismo, garantindo osteointegração e cicatrização mais rápidas.

De qualquer maneira, somente um implantodontista experiente poderá compreender as suas necessidades e indicar o melhor tratamento para revitalizar o seu sorriso e devolver a sua qualidade de vida.

Gostou de saber mais sobre os tipos de implantes dentários? Está em busca de um dentista especializado na região de Brasília e Goiânia? Venha conversar conosco e saiba como podemos ajudar você!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *