Complicações de implantes dentários: descubra por que isso acontece

Tempo de leitura: 7 minutos

Os implantes dentários são, hoje, uma das melhores alternativas para quem deseja substituir um dente perdido e retomar suas funções mastigatórias, de fala e até a sua autoestima.

Embora ele seja um método bastante seguro, é fundamental seguir as orientações do seu dentista e escolher um bom profissional, evitando as possíveis complicações de implantes dentários, que podem colocar o seu tratamento e a sua saúde em risco.

Está pensando em fazer um implante? Então, continue a leitura!

Por que acontecem complicações de implantes dentários?

Antes de tudo, é preciso explicar que existem duas possibilidades de complicações: as que ocorrem imediatamente após o processo cirúrgico e aquelas que demoram mais tempo, ocasionadas pela falta de cuidado do paciente com o implante.

Embora a implantodontia seja uma área bastante moderna, existem alguns casos que são mais complexos e que podem exigir do profissional um conhecimento mais profundo para garantir o sucesso do tratamento.

Além disso, alguns pacientes são considerados “de risco” e merecem uma atenção maior quando forem realizar seus implantes, que são:

  • fumantes;
  • diabéticos;
  • pessoas que sofrem com periodontite;
  • pessoas que têm uma má higiene oral;
  • pessoas com pouco osso alveolar, necessitando de enxertos, o que torna a regeneração óssea mais complexa.

Os casos mais comuns de complicações de implantes dentários são as listadas abaixo.

Perda óssea

A perda óssea pode acontecer ao redor dos implantes. Para evitar a complicação do quadro, é preciso respeitar os retornos e os checkups com o seu dentista, que será capaz de detectar o problema ainda no início e tratá-lo corretamente.

Infecção

As infecções que acontecem ao redor do implante geralmente são causadas por uma má higiene oral. Para que isso não ocorra, você deverá seguir as recomendações de higiene do seu dentista. Caso você sofra com doença periodontal, deverá seguir um programa preventivo, além de realizar uma higiene oral adequada, ao menos duas vezes ao dia.

Fratura do implante

Esse é um caso muito raro e, geralmente, somente acontece com pacientes que têm hábitos parafuncionais, como apertar os dentes e bruxismo, ou ainda uma oclusão instável, o que gera sobrecargas extremas nos implantes.

Perda do implante

Tanto a fratura quanto a infecção podem levar à perda do implante. Ainda pode acontecer o que chamamos de perda precoce, quando a osseointegração não acontece. Geralmente, é possível substituir esse implante problemático por outro.

Complicações referentes à prótese

Em alguns casos, é possível que a porcelana da ponte ou da coroa sofra pequenas fraturas. Isso pode acontecer com mais frequência nos implantes do que nos dentes naturais, já que há uma falta de absorção de choque entre o implante e o osso.

Outras possibilidades mais remotas são a perda de parafusos ou a fratura mecânica das pontes, das coroas e dos parafusos. Essas complicações também costumam acontecer em pacientes com hábitos de ranger e apertar os dentes e os que sofrem de bruxismo.

Mucosite

A mucosite é um problema que acontece algum tempo depois da colocação do implante e tem maior prevalência nos pacientes que já apresentam alguma condição de saúde, principalmente aqueles que têm maus hábitos de higiene oral.

No primeiro momento, o problema acontece devido ao acúmulo de placa bacteriana ao redor dos implantes, levando a uma inflamação da gengiva. Geralmente a causa é a má escovação ou a escovação ineficiente.

Se o paciente não busca ajuda profissional, o problema pode evoluir para uma peri-implantite, ocasionando em perda óssea em torno do implante. Se for diagnosticada ainda na fase inicial, é possível evitar a evolução. Porém, sem tratamento, a condição é capaz de causar mobilidade da peça, levando à perda dela.

Como evitar as complicações de implantes dentários?

Como você viu, existem muitas possibilidades de complicações de implantes, sendo que algumas podem ser evitadas pelo paciente, como tendo uma boa higiene oral, mas outras dependem muito da técnica e da expertise do dentista. Veja algumas dicas importantes.

Escolha um profissional capacitado

Escolher muito bem o dentista que fará o seu implante é uma das principais maneiras de evitar complicações.

Afinal, é extremamente importante que ele tenha conhecimento sobre as técnicas, use material de qualidade, que esteja de acordo com as suas necessidades e o seu quadro e tenha uma clínica com infraestrutura adequada para realizar o procedimento.

Assim, sempre busque saber qual é a formação do profissional, se ele é especializado em implantodontia (nem todos os dentistas são), há quanto tempo atua nessa área e, caso seja possível, tente conversar com outros pacientes.

Analise a infraestrutura da clínica

Um problema muito grave e que pode levar a várias complicações é a falta de preocupação com a biossegurança. Isso significa não realizar uma esterilização correta dos materiais ou não usar equipamentos próprios para isso, favorecendo o contágio de várias doenças, como a Hepatite B e C e até o HIV. Portanto, antes de optar pelo profissional, verifique se a clínica tem protocolos específicos para a esterilização.

Outro ponto importante é questionar se a clínica trabalha com tecnologias de ponta. Por exemplo, com equipamentos capazes de realizar uma imagem precisa do paciente, tornando mais simples a identificação de problemas e a criação de protocolos de tratamento.

Saiba qual tipo de implante será usado

Muitas pessoas não têm ideia, mas os implantes também têm marcas. Isso significa que se o dentista usar um implante de qualidade duvidosa, as chances de você sofrer com complicações aumentam, enquanto o tempo de duração do implante diminui.

Por isso, converse com o dentista sobre todas essas questões, questionando sobre o tipo e a qualidade do implante usado, buscando entender qual é o índice de rejeição do material, o tempo de duração, o material e o fabricante.

Fuja da guerra dos preços

Invariavelmente, muitos pacientes acabam optando pelo profissional e pela clínica apenas pelo preço. Como você pôde notar ao longo deste conteúdo, essa atitude pode ser um erro grave.

Afinal, um profissional que oferece preços muito abaixo do mercado pode não ter a capacitação adequada, não usar implantes de boa qualidade e nem ao menos ter uma clínica bem equipada e com infraestrutura suficiente para lhe oferecer um tratamento seguro e de qualidade.

Quais são os sintomas de complicações de implantes dentários?

Como dissemos, os implantes são métodos seguros, porém podem existir alguns sinais de que algo não vai bem, que são:

  • dor: o ideal é que haja ausência de dor e de sensibilidade ao toque após as primeiras horas de cirurgia;
  • mobilidade: um implante adequado não deve se mexer, caso isso esteja acontecendo pode ser sinal de problemas de osseointegração;
  • supuração: esse não é um bom sinal e pode indicar o risco de uma lesão avançada;
  • inchaço e vermelhidão: podem indicar um processo inflamatório em curso;
  • sabor desagradável na boca e mau hálito: pode ser causado por bactérias ou um processo inflamatório;
  • formigamento ou dormência na bochecha, lábios, gengiva e língua: indica que o implante está muito próximo do nervo.

Lembrando que, ao notar qualquer um desses sintomas,é preciso procurar imediatamente o seu dentista, mesmo que já faça alguns meses que você tenha realizado o procedimento de implante.

Depois de ler este conteúdo, você já está mais informado sobre as complicações de implantes dentários? Aproveite e leia o nosso post sobre como são feitos os implantes dentários e saiba tudo sobre esse assunto!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *