Aprenda como aliviar a gengivite e seus tratamentos

Tempo de leitura: 6 minutos

Não tem nada mais desagradável do que, de repente, ao escovar os dentes ou passar o fio dental se deparar com uma parte da sua gengiva sangrando ou notá-la inchada e dolorida.

Embora esses possam ser sinais de inúmeros problemas bucais, também podem ser indícios da gengivite, uma inflamação da gengiva que necessita de cuidados especiais, evitando que a questão se agrave.

Se você sofre com esse problema, continue a leitura e veja dicas de como aliviar a gengivite e tratar corretamente essa doença!

O que é a gengivite?

A gengivite, como o próprio nome sugere, é a inflamação da gengiva e, na maioria das vezes, está associada à presença de placa bacteriana na margem gengival. Quando essa placa não é retirada corretamente por meio da escovação, ela pode acabar se tornando o tártaro e levar a um quadro de gengivite.

Em alguns casos, a gengivite se instala de modo silencioso e o paciente nem se dá conta do problema até fazer uma visita ao dentista. Porém, outras vezes, a doença pode causar vários sintomas, como:

  • mau hálito e gosto ruim na boca;
  • sangramentos durante a escovação ou ao passar o fio dental;
  • gengivas vermelhas, inchadas e muito sensíveis;
  • dor ao mastigar ou quando algum alimento toca a área irritada da gengiva;
  • próteses que começam a ficar “desajustadas”;
  • gengivas que se afastam do dente e criam uma espécie de “bolsa”;
  • presença de pus ao redor dessa bolsa gengival e também do dente afetado;
  • dentes que parecem mais longos (isso se deve à retração gengival que pode acontecer em casos mais avançados de gengivite).

Quais são as principais causas da gengivite?

Na maior parte das vezes, o problema é causado pela má escovação ou pela escovação ineficiente, sobretudo pela falta de uso do fio dental. Essa questão acaba levando ao acúmulo de placa bacteriana, que pode acabar irritando e inflamando a gengiva.

Mas o motivo não é apenas esse. Uma escovação excessiva ou feita de maneira agressiva e com muita força também pode desenvolver o problema, agredindo a gengiva e ficando mais fácil para que as placas penetrem, ou ainda causando a retração gengival.

Outras questões que podem auxiliar no aparecimento da gengivite são:

  • mudanças hormonais, que podem deixar a gengiva mais sensível, como em adolescentes, no começo da vida adulta e em mulheres grávidas;
  • dentes desalinhados;
  • aparelhos mal colocados e mal higienizados;
  • pontas de obturação ásperas;
  • uso de determinados medicamentos, como anticoncepcionais e fenitoína;
  • ser fumante;
  • presença de cárie;
  • predisposição genética.

A gengivite ainda pode ser a manifestação inicial de outras patologias, como: diabetes, lúpus, herpes labial, leucemia, problemas nutricionais, entre outros. Por isso, é tão importante procurar o seu dentista para garantir um diagnóstico preciso.

O que acontece se a gengivite não for tratada?

Na fase inicial, a gengivite pode causar pequenos desconfortos, o que faz com que muitos pacientes acabem não dando à doença a devida atenção. Porém, é extremamente importante salientar que, caso não seja tratada corretamente, ela poderá evoluir para uma doença periodontal, levando a problemas mais sérios.

A próxima “fase” da gengivite é a periodontite, quando as fibras e os ossos de apoio que seguram os dentes no lugar certo começam a ser afetados pela inflamação. Se a gengivite é um quadro que pode ser revertido, a periodontite já começa a se tornar muito mais difícil de ser tratada.

Caso, mesmo assim, o paciente não faça um tratamento com um dentista especializado, entramos no que chamamos de periodontite avançada, quando as fibras e os ossos de suporte ficam totalmente danificados, fazendo com que o dente da área afetada fique amolecido e se movimente.

Essa situação pode causar muitos desconfortos, inclusive afetando a forma como o paciente se alimenta e fala. Infelizmente, nem sempre o tratamento quando a doença está nesse estágio consegue surtir efeito e o resultado é a necessidade de extração do dente.

Como prevenir a gengivite e tratá-la corretamente?

Se você notar alguma alteração na sua boca, como sangramentos, sensibilidade ou mau hálito, o melhor a fazer é buscar auxílio imediatamente de um dentista, iniciando o tratamento o mais rápido possível e evitando que a doença atinja os estágios mais avançados.

Na fase inicial, o seu dentista poderá apenas lhe orientar de maneira a modificar a sua escovação, evitando o acúmulo de placa bacteriana. Além disso, poderá ser feita uma limpeza profilática em consultório, retirando toda a placa e tártaro acumulados e contendo a inflamação local.

Porém, vale a pena lembrar que, mesmo com a limpeza feita na clínica, se o paciente continuar com os maus hábitos de higiene, o problema retornará. Por isso, é muito importante aprender a escovar os dentes corretamente, sem usar força excessiva, encontrando a escova certa para as suas necessidades e sempre usando o fio dental.

Prevenção é o melhor tratamento

Quando o assunto é a gengivite, a prevenção ainda é a melhor solução, evitando que o problema apareça. E a melhor maneira de fazer isso é sempre escovando os dentes após se alimentar, usando o fio dental para eliminar os restos de comida entre os dentes e, claro, visitando o seu dentista periodicamente.

Lembre-se de que, nem sempre, a gengivite trará sintomas e você poderá estar com uma condição até mais grave sem notar. Por isso, comparecer às consultas periódicas pode impedir muita dor de cabeça e até a perda dos seus dentes.

Agora, se você já está com um problema mais sério, como uma periodontite, é imprescindível buscar ajuda de um dentista especialista em gengiva (o periodontista).

É ele quem avaliará o grau de comprometimento da sua gengiva e o melhor tratamento, que pode variar entre o uso de medicamentos, uma raspagem, a correção do mau posicionamento dentário e até uma cirurgia periodontal, para quadros mais avançados e que as demais técnicas terapêuticas não surtiram efeito.

Como aliviar a gengivite até buscar ajuda especializada?

Se você tem notado a presença dos sintomas que listamos e está aguardando a consulta com o seu dentista, existem algumas medidas que podem ser tomadas para diminuir o desconforto, como:

  • faça um chá de cravo, espere esfriar, e então use-o para fazer bochechos. Não se esqueça de escovar os dentes depois;
  • use óleo de coco para fazer uma massagem leve na gengiva afetada, reduzindo as dores;
  • bocheche duas vezes ao dia com chá de casca de romã;
  • escove corretamente os dentes todos os dias.

Lembrando que essas são algumas medidas caseiras apenas para aliviar a gengivite até a consulta, já que apenas um dentista será capaz de diagnosticar e tratar o problema.

Você gostou deste conteúdo sobre como aliviar a gengivite? Aproveite e curta as nossas redes sociais (Facebook e Instagram) para receber mais dicas valiosas!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *