6 dicas para fazer a limpeza de implante dentário

Tempo de leitura: 4 minutos

O sucesso de um implante dentário está relacionado inicialmente à técnica cirúrgica, a estabilidade primária e a ausência de contaminação bacteriana, que causa a peri-implantite. O sucesso posterior é obtido por meio da manutenção rigorosa da limpeza de implante dentário, fazendo a higiene oral para evitar o acúmulo de placa bacteriana ao redor do dente.

Os implantes e as próteses, por serem de titânio, porcelana ou acrílico, não desenvolvem a cárie. Entretanto, a doença da gengiva (conhecida como gengivite ou peri-implantite) se caracteriza pela inflamação da gengiva — causada pelo acúmulo de placa bacteriana e, se não tratada, pode continuar a evoluir e ocasionar a perda do implante.

Por isso, no post de hoje, abordaremos a importância da higiene oral e traremos dicas de limpeza de implantes dentários. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

O que fazer para preservar a vida dos seus implantes?

Após a instalação do implante, os pacientes devem ser orientados pelo profissional sobre a higienização regular, uma vez que a limpeza deve ser minuciosamente realizada nos dentes remanescentes e sobre as superfícies protéticas.

A maioria dos pacientes tem dificuldades associadas à escovação quanto à frequência, técnica aplicada, duração e força: fatores esses que influenciam na eficiência de remoção da placa bacteriana.

Assim, o treinamento para uma utilização conjunta de diferentes métodos é importante.

Quais são os principais métodos de higienização?

Para manter a higiene bucal, é fundamental observar e seguir alguns passos:

  1. escovar os dentes, no mínimo, duas vezes ao dia, com movimentos circulares e força suave;
  2. usar o fio dental como complemento à escovação, pois ele auxilia na remoção de placas bacterianas;
  3. utilizar antissépticos bucais, quando indicados pelo dentista.

1. Escovas

Utilizar escova delicada com acesso sulcular, pois facilita a remoção da placa do pilar acima do implante.

Como uso complementar ao uso das escovas regulares, indica-se o uso de escovinhas interdentais — que possuem cabeças pequenas e menor número de cerdas — para áreas de difícil acesso e regiões interproximais.

Outra possibilidade é a utilização de escovas do tipo unitufos, que facilitam a limpeza de regiões de difícil acesso. Esse material é recomendado para pacientes com dificuldade em utilizar o fio dental. 

Para aqueles pacientes com dificuldade de higienização, são indicadas as escovas elétricas com múltiplos pincéis, para permitir um total acesso aos pilares protéticos.

Vale lembrar que somente um especialista pode recomendar o tamanho e a forma mais adequada para cada espaço que será higienizado.

2. Fio dental

O fio dental deve ser introduzido para a face lingual do implante e cruzar-se retornando para a face vestibular, envolvendo completamente o pilar protético.

Para utilizar o fio dental nos dentes artificiais de próteses unidas, ele deve ser inserido com o auxílio de um passa-fio entre o dente natural e o primeiro  artificial, movimentando para cima e para baixo, com penetração no sulco gengival.

3. Creme dental

Os cremes dentais com potencial ácido (fluoretos ácidos) não devem ser utilizados, uma vez que podem provocar corrosão na superfície dos implantes de titânio. É recomendado, portanto, a utilização de fluoretos de sódio ou os neutros.

4. Enxaguante bucal

O antisséptico do tipo Clorexidina 0,12% pode ser recomendado por períodos curtos, para áreas de acesso difícil e/ou em presença de inflamações.

5. Colutório

A utilização de colutórios a base de flúor auxilia na eliminação de placas bacterianas, prevenindo o aparecimento de cáries nos dentes adjacentes. Entretanto, o uso indiscriminado desse produto pode provocar alterações nas propriedades físicas e mecânicas da prótese.

6. Hidropropulsores (jatos de água)

Associados a agentes antiplacas ou antissépticos, são indicados aos pacientes com destreza manual reduzida, em presença de bolsas peri-implantares ou de implantes muito próximos.

Como é feita a manutenção e limpeza com o dentista?

Além da higienização, o paciente deve realizar retornos periódicos e regulares ao cirurgião dentista que devem ser, aproximadamente, a cada seis meses.

O profissional deve fazer avaliação e realizar a limpeza de implante dentário mais profunda, além de observar possíveis infecções ou inflamações. Tais cuidados e manutenções (feitos por você e seu dentista) vão contribuir para a longevidade dos seus implantes.

E aí, gostou deste post? Resta alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

Sobre Dr. Francisco

Dr. Francisco de Oliveira Castro
Dentista avaliador na clínica Vital Implantes.
CRO-DF 9447
Graduado em 1997 pela FELA-INCA/UEMG;
Pós-graduando em Implantodontia na EAP-ABO de Campo Belo - MG.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *